acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indústria Naval

Wilson, Sons fecha contrato para construção de um ROVSV

22/12/2011 | 09h51
A Wilson, Sons fechou contrato para a construção de um Remotely Operated Vehicle Support Vessel (ROVSV). Este será o terceiro tipo de embarcação fabricada pela empresa, que já constrói rebocadores e Platform Supply Vessels (PSVs).

O contrato foi firmado por meio da subsidiária Wilson, Sons Estaleiros, com a Fugro Brasil - empresa do Grupo Fugro - com sede na Holanda. A data de entrega está prevista para fevereiro de 2014. A Fugro Brasil tem opção ainda para contratar a construção de uma segunda embarcação, do mesmo tipo, que expira em abril de 2012.

O ROVSV é uma embarcação de apoio marítimo equipado com um veículo subaquático remoto, que permite a observação e montagem de estruturas submarinas offshore. A embarcação, que contará com tecnologia e projeto de engenharia da holandesa Damen, terá propulsão diesel-elétrica, com 83 metros de comprimento e 18 metros de largura.

Esse contrato marca o início do desenvolvimento da capacidade de construção naval da Wilson, Sons e faz parte da estratégia de atender a demanda impulsionada principalmente pelo crescimento da indústria de óleo e gás no Brasil. Considerando apenas o plano estratégico da Petrobras, cerca de 280 novas embarcações de apoio marítimo serão necessárias até 2020 para atender a demanda criada pela exploração e produção das reservas de pré e pós-sal.

Com a atual capacidade de processamento de 4.500 toneladas de aço por ano, o Estaleiro Wilson, Sons Guarujá (SP) produziu, desde 2004, 35 embarcações sendo 25 rebocadores e dez PSVs. A construção de um estaleiro em Rio Grande (RS), em conjunto com a expansão do próprio Estaleiro Guarujá, multiplicará a atual capacidade produtiva por cinco, atingindo 23.000 toneladas de aço por ano ao fim do primeiro semestre de 2014, nos permitindo ter maior flexibilidade na construção de embarcações próprias e de terceiros.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar