acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
GNL

White Martins prevê investir US$ 100 milhões

14/12/2004 | 00h00

A White Martins, subsidiária do grupo americano Praxair e que lidera o mercado brasileiro de gases industriais e medicinais, deverá investir US$ 100 milhões no Brasil em 2005, o que representa um crescimento de 25% sobre os US$ 80 milhões que serão investidos até o fechamento deste ano.
Segundo o presidente da empresa, Domingos Bulus, metade do investimento irá para a já anunciada construção de uma fábrica de liquefação de gás natural em Paulínia (SP), a primeira do gênero no país. O restante irá, basicamente, para a construção de plantas de gás dentro de unidades industriais, atendendo à demanda aquecida do mercado industrial.
A liquefação de gás natural, um processo que reduz em até 600 vezes o volume do produto, permite que ele seja transportado por caminhões para abastecer regiões localizadas fora dos eixos dos gasodutos existentes no país. A distribuição do gás liqüefeito será feita por uma empresa formada no início deste ano pela White Martins e a Petrobras.
Bulus disse que vai fornecer gases industriais, como oxigênio e nitrogênio e argônio, para os principais projetos em andamento na área siderúrgica. Já está certa a construção de uma planta de gases na usina que o grupo Gerdau vai construir em Araçariguama (SP) e outra na expansão que será feita na Companhia Siderúrgica de Tubarão (CST). A siderúrgica capixaba vai ampliar de 5 milhões para 7,5 milhões a sua produção de aço bruto até meados de 2006. Fora do setor siderúrgico, um dos investimentos da White Martins é uma planta de gases para a indústria de vidros Cebrace.
"Tudo indica que 2005 vai ser para a White Martins melhor do que 2004, que já foi muito bom", disse Bulus durante seminário sobre as perspectivas econômicas para 2005. "Eu estou cem por cento otimista. Estão todos (os investidores internacionais) torcendo pelo Brasil", acrescentou. Segundo ele, as empresas preferem investir no país porque "qualquer coisa que se faça aqui a alavancagem é imediata".
Mas o otimismo de Bulus tem senões. Segundo ele, por conta do risco Brasil ainda ser elevado, os controladores do grupo Praxair exigem, para investir no mercado brasileiro, que o retorno do capital empregado seja "muito superior" ao que eles exigem para fazer investimentos em outras partes do mundo. Apesar de haver uma preferência natural pelo Brasil, de acordo com Bulus, as empresas acabam investindo em países como a China e a Índia pelas dificuldades que enfrentam aqui. "Nós precisamos agir", Alertou.
A White Martins possui no Brasil, além de plantas instaladas dentro de outras empresas, fábricas em Manaus, Barra Mansa (RJ) e na cidade do Rio de Janeiro, empregando um total de 4,3 mil pessoas no país. Em Barra Mansa e em Manaus a empresa produz cilindros de alta pressão, sendo que na capital amazonense os cilindros são específicos para uso em veículos movidos a gás natural. Na cidade do Rio de Janeiro a empresa produz equipamentos para a armazenagem de gases a baixíssimas temperaturas, abaixo de 100 graus Celsius negativos. A empresa não quis antecipar números sobre o faturamento deste ano, informando apenas que ele será maior que o de 2003, que foi de R$ 1,7 bilhão.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar