acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Financiamento

Volume de empréstimos do BNDES cresceu mais de 40% este ano

10/11/2010 | 09h31
Entre janeiro e outubro, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberou R$ 116,1 bilhões em empréstimos, um aumento de 43% em comparação ao mesmo período do ano passado. As consultas aumentaram 25%, representando R$ 199,2 bilhões. As aprovações somaram 138,6 bilhões, um avanço de 32%. Os dados foram apresentados ontem (9) pelo presidente do banco, Luciano Coutinho.


“Isso demonstra que o investimento industrial permanece bastante firme. Representa uma ratificação do bom desempenho da economia brasileira. Os investimentos estão crescendo firmemente na indústria, na infraestrutura e isso é uma demonstração da saúde da economia brasileira e da confiança do empresariado na sustentação do crescimento”, disse Coutinho.


No período, a indústria recebeu R$ 40,5 bilhões, que correspondem a 39% das liberações totais, com destaque para as áreas têxtil e de vestuário (crescimento de 357%), alimentos e bebidas (+ 144%), química e petroquímica (+ 46%) e mecânica (+ 37%).


Nos primeiros dez meses do ano, o banco também aumentou consideravelmente os desembolsos para a área de infraestrutura, totalizando R$ 30,3 bilhões (aumento de 37%). A maior parte foi para o setor rodoviário, com R$ 21,3 bilhões liberados, e para investimentos em energia elétrica, com R$ 9,5 bilhões.


Coutinho defendeu ainda o financiamento público de R$ 20 bilhões para o trem de alta velocidade (TAV) que vai ligar o Rio de Janeiro a São Paulo e Campinas. “O TAV é um projeto que foi estudado com profundidade. Cria efeitos positivos para as duas grandes metrópoles brasileiras, São Paulo e Rio. Tem impacto no desenvolvimento regional muito positivo. Pelo conjunto dos benefícios, tem muito mais méritos do que riscos.”


O presidente do BNDES acredita que haverá demanda firme para o trem-bala brasileiro, estimada em 32 milhões de passageiros por ano, que viabilizará economicamente a iniciativa. “O projeto tem taxa de retorno positiva. Esse investimento tem um prazo de maturação de 30 a 35 anos.”


O presidente do BNDES confirmou que participará de sessão da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, segundo requerimento aprovado hoje, para falar sobre os investimentos do banco de fomento na Petrobras e no TAV.


Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar