acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Tubos

V&M pretende aumentar vendas para setor petrolífero

20/06/2006 | 00h00

A V&M do Brasil, maior fabricante de tubos de aço sem costura do país, quer diversificar sua atuação na prestação de serviços para o setor petrolífero. Na quinta-feira, inaugura uma base de logística e serviços em Rio das Ostras, no Rio de Janeiro. A unidade prestará serviços como reparo de conexões de tubos, além de armazenagem.

A siderúrgica mineira já tinha desde 2002 uma base de serviços no Rio de Janeiro, no município de Macaé, para atender um contrato de estocagem e manuseio de tubos com a Petrobras. Instalada num terreno cedido pela própria estatal de petróleo, a base não poderia atender demandas de novos operadores do setor, como Shell e Texaco.

Com a base própria em Rio das Ostras, a V&M pretende conquistar contratos de prestação de serviços para empresas que passaram a atuar no setor depois da abertura do mercado de petróleo, em 1999, mas só agora começam a colocar em prática seus planos de exploração.

"A nova base possibilitará a captação de novos clientes", afirmou o gerente de marketing e controle de gestão da V&M, Renato Rennó. Com a inauguração da nova unidade, os serviços para a Petrobras serão transferidos de Macaé para Rio das Ostras.

A nova base de logística e serviços tem cerca de 30 mil metros quadrados de área e está instalada dentro da Zona Especial de Negócios (ZEN), aberta pelo município de Rio das Ostras em janeiro. Na ZEN - criada para atrair empresas principalmente nos setores de petróleo, gás e indústria naval - estão em processo de instalação 77 empresas.

A unidade da V&M será uma das 20 que já começam a operar neste ano. A direção da siderúrgica não revelou o valor no investimento em Rio das Ostras.

Subsidiária do grupo francês Vallourec & Mannesmann Tubes, a V&M do Brasil concluiu no ano passado um investimento de R$ 650 milhões para duplicar a capacidade de produção - a usina de Belo Horizonte produz 560 mil toneladas de tubos de aço sem costura por ano.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar