acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Tubos

V&M conclui duplicação de usina no país

14/07/2006 | 00h00

A V&M do Brasil, subsidiária do grupo francês Vallourec & Mannesmann Tubes, acaba de concluir projeto de expansão da capacidade de produção, com investimentos de R$ 1 bilhão nos últimos cinco anos. Isso garantiu à siderúrgica, maior fabricante de tubos sem costura do país, um salto de 260 mil toneladas para 500 mil toneladas anuais.

Com a nova estrutura, a usina do Barreiro, em Belo Horizonte, poderá complementar o mix de produção do grupo siderúrgico francês. Parte da produção será enviada para acabamento em uma subsidiária nos Estados Unidos, especializada em tubos para perfuração. A V&M espera ampliar também a participação no mercado interno, especialmente na área de energia. "É uma grande oportunidade para nós", disse o presidente do conselho de administração, Marco Antônio Castello Branco.

A siderúrgica aposta no crescimento de mercados como o de gás, álcool e biodiesel. Os tubos sem costura estão presentes também em diversas aplicações industriais ligadas ao mercado de energia. Caldeiras de destilação do álcool, cilindros de gás natural veicular (GNV) e motores flex para automóveis, entre outros.

"O setor de produção de álcool em grande escala passa por uma fase de melhoria das tecnologias, que leva à substituição de tubos soldados por tubos sem costura", disse Castello Branco. Embora com capacidade de 500 mil toneladas anuais, segundo a empresa, é possível, com a atual estrutura, vir a produzir até 560 mil toneladas.

De acordo com o executivo, a próxima onda de investimentos na V&M do Brasil não será na sua expansão, mas em aprimoramento tecnológico. A siderúrgica quer, cada vez mais, agregar valor à produção. Em 2005, a empresa vendeu 461 mil toneladas, com receita líquida de R$ 1,8 bilhão. O valor foi impactado pela paralização de mais de 30 dias para as obras de ampliação do laminador. A expectativa é de que, em 2006, estes números sejam superados.

Em 2005, o lucro líquido da V&M foi de R$ 460 milhões, o maior da sua história. A subsidiária brasileira é responsável por 25% da capacidade de produção da Vallourec & Mannesmann Tubes, que tem usinas na França, Alemanha, Estados Unidos e Brasil.

A solenidade de hoje, na usina do Barreiro, marca também a inauguração do novo centro administrativo da empresa, construído com tubos estruturais, um novo nicho de negócios que a V&M do Brasil passa a disputar.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar