acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

Vendas da indústria do Rio cresceram 4,4% em agosto

02/10/2012 | 09h54

 

As vendas da indústria fluminense cresceram 4,4% em agosto, em comparação com julho, sendo esta a maior alta do ano. As estatísticas de agosto mostraram sinais de recuperação em resposta ao cenário de menores juros e às diversas medidas de estímulo anunciadas pelo governo. Mantido esse ritmo, a indústria pode voltar a crescer nos próximos meses, atingindo o mesmo patamar registrado em 2011. As informações estão na edição de agosto do estudo "Indicadores Industriais", que a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) divulgou na segunda-feira (1º).
Dentre os 16 setores pesquisados, 11 sentiram crescimento em suas vendas, como edição e impressão (+26,27%), outros equipamentos de transporte (+23,17%), máquinas e equipamentos (+18,81%), alimentos e bebidas (+18,79%), veículos automotores (+14,26%) e produtos de metal (+14,06%). Em comparação com o ano passado, no entanto, o indicador de faturamento continua apresentando queda: -3,7% em relação à agosto de 2011 e - 4,3% no acumulado de 2012.
O indicador de horas trabalhadas na produção industrial fluminense também registrou crescimento: alta de 1,3% em agosto, no comparativo com julho, com destaque para o setor de material eletrônico e comunicação (+40,34%), melhor desempenho do mês por conta da necessidade de conclusão de encomendas. Essa foi a segunda alta consecutiva no indicador de horas trabalhadas, que já conseguiu reverter o cenário negativo na comparação com o ano passado, recuando apenas 0,3% frente à agosto de 2011. No acumulado do ano, o indicador ficou praticamente estável (-0,1%) em relação ao mesmo período de 2011.
Redução de 2 mil postos de trabalho
Apesar da evolução positiva dos indicadores de faturamento e produção, o indicador de pessoal ocupado na indústria recuou 0,5% na comparação com julho, o que representou a eliminação de 2 mil postos de trabalho em agosto. É a terceira queda consecutiva no ano e a variável já acumula um saldo negativo de aproximadamente 6 mil vagas na indústria fluminense em 2012.
Os setores de produtos de metal (-2,62%), minerais não metálicos (-2,54%), alimentos e bebidas (-2,24%), outros equipamentos de transporte (-1,46%) e vestuário (-1,27) foram os que apresentaram maior redução. Em comparação com o ano passado, houve retração de 0,3% no mês e de 2,2% no acumulado do ano, no indicador de pessoal ocupado.
A massa salarial da indústria registrou leve recuo de 0,1%. Mesmo com o resultado quase estável, o índice de agosto é o segundo mais alto do ano: os destaques ficaram por conta dos setores de vestuário (+7,85%), papel e celulose (+5,52%), borracha e plástico (+4,53%) e metalurgia básica (+4,13%). No comparativo com 2011, o resultado foi positivo: alta de 2,2% no mês e de 4,7% no acumulado do ano.

As vendas da indústria fluminense cresceram 4,4% em agosto, em comparação com julho, sendo esta a maior alta do ano. As estatísticas de agosto mostraram sinais de recuperação em resposta ao cenário de menores juros e às diversas medidas de estímulo anunciadas pelo governo. Mantido esse ritmo, a indústria pode voltar a crescer nos próximos meses, atingindo o mesmo patamar registrado em 2011. As informações estão na edição de agosto do estudo "Indicadores Industriais", que a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) divulgou na segunda-feira (1º).


Dentre os 16 setores pesquisados, 11 sentiram crescimento em suas vendas, como edição e impressão (+26,27%), outros equipamentos de transporte (+23,17%), máquinas e equipamentos (+18,81%), alimentos e bebidas (+18,79%), veículos automotores (+14,26%) e produtos de metal (+14,06%). Em comparação com o ano passado, no entanto, o indicador de faturamento continua apresentando queda: -3,7% em relação à agosto de 2011 e - 4,3% no acumulado de 2012.


O indicador de horas trabalhadas na produção industrial fluminense também registrou crescimento: alta de 1,3% em agosto, no comparativo com julho, com destaque para o setor de material eletrônico e comunicação (+40,34%), melhor desempenho do mês por conta da necessidade de conclusão de encomendas. Essa foi a segunda alta consecutiva no indicador de horas trabalhadas, que já conseguiu reverter o cenário negativo na comparação com o ano passado, recuando apenas 0,3% frente à agosto de 2011. No acumulado do ano, o indicador ficou praticamente estável (-0,1%) em relação ao mesmo período de 2011.



Redução de 2 mil postos de trabalho


Apesar da evolução positiva dos indicadores de faturamento e produção, o indicador de pessoal ocupado na indústria recuou 0,5% na comparação com julho, o que representou a eliminação de 2 mil postos de trabalho em agosto. É a terceira queda consecutiva no ano e a variável já acumula um saldo negativo de aproximadamente 6 mil vagas na indústria fluminense em 2012.


Os setores de produtos de metal (-2,62%), minerais não metálicos (-2,54%), alimentos e bebidas (-2,24%), outros equipamentos de transporte (-1,46%) e vestuário (-1,27) foram os que apresentaram maior redução. Em comparação com o ano passado, houve retração de 0,3% no mês e de 2,2% no acumulado do ano, no indicador de pessoal ocupado.


A massa salarial da indústria registrou leve recuo de 0,1%. Mesmo com o resultado quase estável, o índice de agosto é o segundo mais alto do ano: os destaques ficaram por conta dos setores de vestuário (+7,85%), papel e celulose (+5,52%), borracha e plástico (+4,53%) e metalurgia básica (+4,13%). No comparativo com 2011, o resultado foi positivo: alta de 2,2% no mês e de 4,7% no acumulado do ano.

 



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar