acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Setor naval

Vale vai encomendar dois navios de contêineres

05/08/2004 | 00h00

 A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) pretende investir, no próximo ano, cerca de US$ 70 milhões na aquisição de dois navios de transporte de contêineres. As duas embarcações, avaliadas em cerca de US$ 35 milhões cada, servirão para ampliar a oferta de embarcações da Docenave, empresa do grupo que atua no segmento da navegação de cabotagem.
A companhia diz que tem 36% do mercado de transporte de contêineres. " O segmento vem crescendo significativamente. Somente em 2003 os contêineres representaram R$ 122 milhões dos R$ 333 milhões da receita registrada pela Docenave. No primeiro trimestre deste ano a receita obtida com a cabotagem foi de R$ 34,3 milhões. Em 2003, no mesmo período, a receita foi de R$ 26,5 milhões. O mercado de cabotagem tem crescido entre 35% e 26% como um todo", diz o presidente da Docenave, Carlos Ebner.
Segundo ele, as embarcações deverão contar com recursos do Fundo de Marinha Mercante para sua construção. Cada um dos navios, cuja previsão é de entrarem em operação em 2006, terão capacidade para transportar até 2,3 mil TEU`s (unidade padrão para contêineres de 20 pés). A empresa pretende viabilizar o projeto junto a estaleiros nacionais.
O Nordeste representa atualmente cerca de 60% do volume operado pela companhia. Entre as principais cargas destinadas à região estão os produtos congelados e arroz. Para dar suporte ao crescimento constante na região, o setor de logística da CVRD vem construindo terminais rodo-ferroviários, enquanto a Docenave está assumindo a operação própria de vários escritórios de vendas e operações.
A empresa anunciou ontem, em Salvador, o início das operações para setembro de um terminal rodo-ferroviário no município de Camaçari. O Terminal de Camaçari (Tercam) está recebendo em sua primeira fase investimentos no valor de R$ 4 milhões. A Logística da Vale está investindo, ainda, outros R$ 14 milhões na aquisição de vagões e locomotivas para atender a demanda da Ford na Bahia. O objetivo é elevar de 30% para 50% o transporte de carga por ferrovia através do modal ferroviário entre as fábricas da Ford e os fornecedores localizados em São Paulo.
A Docenave inaugura hoje o seu escritório de operações próprias em Fortaleza (CE). A empresa registra um movimento médio anual de 15 mil TEUS. "Estamos buscando trazer não apenas cargas do Centro-Sul e do Mercosul para a região, mas também ampliar o volume de cargas no sentido contrário. Também buscamos conseguir cargas com maior valor agregado", diz Ebner. A expectativa é ampliar o volume de transporte por cabotagem de produtos têxteis, eletrodomésticos da linha branca, além de outras cargas como o sal, por exemplo.
A empresa também está buscando parceiros para ampliar a participação do serviço "door to door", que envolve a intermodalidade com o modal rodoviário. "Hoje este serviço representa cerca de 30% do volume de operações com contêineres. Queremos elevar este percentual para 50%", afirma o executivo.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar