acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energy Summit 2011

Usinas de São Luiz de Tapajós e Jatobá, do Paraná, são prioridades para 2012

03/08/2011 | 13h27
O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, afirmou hoje durante o Energy Summit 2011, que o governo planeja colocar em leilão até o fim de 2012 as usinas de São Luiz de Tapajós e Jatobá, duas das cinco que integram o complexo hidrelétrico do Rio Tapajós (PA). Estas serão as primeiras usinas no modelo de plataformas, idealizadas para funcionar em áreas preservadas ambientalmente, já que não permitem a instalação de núcleos de população ao redor das usinas.


Segundo Tolmasquim ao todo, o complexo terá capacidade para gerar 10,6 mil megawatts e a ideia é botá-las em leilão até o final do ano que vem. "Os projetos das duas usinas ainda estão em processo de estudos pela Eletrobras. Quando concluídos, eles seguirão para a análise do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), pois temos que ter autorização para entrar nas áreas que são de preservação ambiental", afirmou.

 
O executivo disse ainda que o leilão de A-5, que será realizado no final do ano, deverá contar com a participação de cinco hidrelétricas. Segundo Tolmasquim, deverão participar três unidades da bacia do Parnaíba, no Piauí, e outras duas da bacia do Teles Pires, no Mato Grosso.


"Nosso objetivo inicial era colocar até cinco usinas do Parnaíba no leilão, mas as hidrelétricas de Ribeiro Gonçalves e Uruçuí não deverão participar do leilão. Ribeiro Gonçalves ainda não teve a licença prévia aprovada e a Uruçuí teve o licenciamento negado Ibama, com isso deverão ir para o leilão no final do ano, a Estreito do Parnaíba e Cachoeira, pois ambas já estão com a licença prévia concedida", explica o presidente da EPE.


Outra que não recebeu licença prévia pelo Ibama foi a usina de Castelhano, com potência de 64 MW, mas segundo Tolmasquim, esta poderá ser leiloada em 2011: "Ainda estamos estudando colocar as três juntas no leilão para ver se isso as tornariam mais competitivas, mas não sabemos, porque no passado por exemplo colocamos duas e elas acabaram não sendo competitivas", disse.





Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar