acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Internacional

Usina solar do Google entra em operação na Califórnia

25/02/2014 | 12h24

 

Considerada a maior usina do mundo, a Ivanpah Solar Electric Generating System, na Califórnia, Estados Unidos, já está em operação. O empreendimento, que contou com o investimento de US$ 1,6 bilhão, tem capacidade para gerar 392 megawatts de energia. A usina pertence às empresas NRG Energy, BrightSource Energy e Google e está localizada em uma área de 13 km².
Com 300 mil placas de 2 m de altura e 3 m de largura, a capacidade do complexo é quatro vezes maior do que a usina de Shams 1, nos Emirados Árabes, que era a maior do mundo. O complexo terá, ao todo, três torres com 140 m de altura cada. A usina poderá gerar 30% de toda a energia solar térmica atualmente produzida nos Estados Unidos. Com o tanto de eletricidade que produz, a Ivanpah Solar Electric Generating System será capaz de abastecer cerca de 140 mil casas. Com isso, uma redução de 400 mil toneladas métricas nas emissões de CO2 é esperada por ano.

Considerada a maior usina do mundo, a Ivanpah Solar Electric Generating System, na Califórnia, Estados Unidos, já está em operação. O empreendimento, que contou com o investimento de US$ 1,6 bilhão, tem capacidade para gerar 392 megawatts de energia. A usina pertence às empresas NRG Energy, BrightSource Energy e Google e está localizada em uma área de 13 km².

Com 300 mil placas de 2 m de altura e 3 m de largura, a capacidade do complexo é quatro vezes maior do que a usina de Shams 1, nos Emirados Árabes, que era a maior do mundo. O complexo terá, ao todo, três torres com 140 m de altura cada. A usina poderá gerar 30% de toda a energia solar térmica atualmente produzida nos Estados Unidos. Com o tanto de eletricidade que produz, a Ivanpah Solar Electric Generating System será capaz de abastecer cerca de 140 mil casas. Com isso, uma redução de 400 mil toneladas métricas nas emissões de CO2 é esperada por ano.

 

Leia mais em: www.tnsustentavel.com.br

 



Fonte: TN Sustentável
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar