acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Óleo & Gás

Usiminas Mecânica e Nuclep são parceiras em produtos e serviços

23/09/2008 | 14h54

A Usiminas Mecânica (UMSA) e a Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A (Nuclep) fecharam um acordo para o fornecimento, em conjunto, de produtos e serviços especialmente para setores de óleo e gás, siderurgia e mineração. A previsão é de que os projetos realizados em conjunto pelas empresas atinjam cerca de R$ 300 milhões ao ano.

 

O objetivo é aproveitar o maior número de oportunidades de negócios nesses três mercados, que apresentam demanda superaquecida para os próximos anos. Para isso, as empresas vão explorar a complementaridade entre produtos, serviços e tecnologia. Com previsão para durar no mínimo cinco anos, cada negócio realizado em conjunto será estabelecido a partir das características do fornecimento.

 

A Usiminas Mecânica atua no fornecimento de estruturas, equipamentos e serviços para mercados de construção pesada e superpesada, como siderurgia, mineração e estruturas off-shore. Este ano a empresa investiu R$ 7 milhões na ampliação da planta de Ipatinga, na unidade de Estruturas Metálicas e Pontes, resultando em um aumento de 1 mil toneladas/mês na capacidade de produção de estruturas.

 

Foram incorporados mais 4 mil m2 e a previsão de crescimento de receita líquida com a expansão é de R$ 80 milhões/ano.  A empresa fechou o primeiro semestre deste ano com números que indicam um sólido crescimento na comparação com 2007. Até junho foram R$ 608,8 milhões de receita líquida e R$ 64, 9 milhões de lucro líquido, respectivamente 66% e 78% superiores a igual período do ano passado.

 

Para o presidente da Nuclep, Jaime Cardoso, a assinatura do  protocolo é o início de um entendimento para que a parceria conquiste futuros contratos. Para atingir a meta da auto-sustentação financeira, a Nuclep mudou o perfil e saiu em busca do mercado, ampliando o campo de negócios.  "A Nuclep passa por um novo momento. Era uma empresa sub-ocupada e que agora saiu em busca do mercado e vem recebendo encomendas dos principais clientes nacionais e internacionais", afirma Jaime Cardoso.

 

O resultado é que a estatal aumentou em 60% o número de empregos e hoje mantém toda a mão-de-obra ocupada. São 680 funcionários diretos e 600 terceirizados para atender os contratos de curta duração. Sendo uma indústria estratégica pelas características únicas de suas instalações, equipamentos e tecnologia que domina, a Nuclep complementa a indústria de base brasileira. O ano de 2008 tem sido marcado por extensivo crescimento no mercado, e já há previsão de ultrapassar R$ 200 milhões em vendas até o fim do ano, o dobro em relação a 2007.



Fonte: Usiminas
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar