acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Siderurgia

Usiminas e MMX fecham acordo para exploração e transporte de minério

15/02/2011 | 10h13
A Usiminas e a MMX formalizaram ontem a parceria na exploração mútua de seus ativos minerários e de logística. A mina de ferro Pau de Vinho em Minas Gerais será arrendada para a MMX pela Usiminas, que poderá escoar minério de ferro pelo futuro "superporto sudeste", da MMX, em Itaguaí (RJ). Segundo o diretor-executivo da Mineração Usiminas, Wilfred Bruijn, a empresa estabeleceu garantias para fechar o negócio, uma vez que o início da operação do porto no litoral fluminense está previsto apenas para 2012.
 

"Se existir qualquer atraso no cronograma, será compensado nos anos seguintes, de modo a não se alterar o volume total a ser escoado estabelecido no contrato", afirmou. O acordo, publicado ontem como fato relevante, estabelece que no próximo ano serão embarcados 3 milhões de toneladas de minério da Usiminas, volume que sobe para 4 milhões em 2013, 8 milhões em 2014 e 12 milhões anuais em 2015 e 2016. No total, 39 milhões de toneladas. Há a obrigação contratual mútua de entrega e transporte de 80% deste volume (cláusulas de "take or pay" e "delivery or pay"). A Usiminas se comprometeu a pagar US$ 12,63 sobre a tonelada transportada.
 

A mina Pau de Vinho poderá representar uma produção anual de 8 milhões de toneladas para a MMX. Pelo contrato, 13,5% da produção será pago por ano à Usiminas, durante os trinta anos do arrendamento. A mina é vizinha de outras áreas de exploração da MMX na região de Serra Azul, próxima ao quadrilátero ferrífero, onde a empresa anunciou em dezembro R$ 3,5 bilhões em investimentos. O processo de entrada da mina em produção ainda deve demorar: a Usiminas só tinha intenção de começar a explorar na próxima década e a MMX ainda não deu entrada no pedido de licenciamento ambiental.
 

O escoamento por Itaguaí é estratégico para a Usiminas que projeta a expansão da sua vertente mineradora. Segundo Bruijn, o conglomerado que tem na siderurgia o seu carro-chefe já exportou 510 mil toneladas de minério de ferro no ano passado e poderá chegar a 1 milhão de toneladas este ano. "Nossa produção mineral foi de 6,8 milhões de toneladas, ante 5,5 milhões de toneladas em 2009. Para este ano, a projeção é chegar a 8 milhões. Em 2012, pode-se chegar a 12 milhões", afirmou Bruijn.
 

A empresa anunciou no fim do ano um investimento de R$ 550 milhões para aumentar a sua capacidade de produção de minério até o volume contratado para Itaguaí e deve anunciar, ainda este primeiro semestre, a localização de uma fábrica de pelotização de 7,5 milhões de toneladas anuais. O objetivo da Usiminas é chegar a uma produção de 29 milhões de toneladas de ferro em 2015, com 40% de destinação para o mercado externo e o restante para uso próprio e venda no mercado doméstico.
 

O acordo também garante a operacionalidade do "superporto" em construção em Itaguaí. O porto pertence à LLX, outra empresa do conglomerado do empresário Eike Batista, e está tendo a sua capacidade de escoamento ampliada para 50 milhões de toneladas anuais. Boa parte da capacidade do porto será usada para transportar a produção própria. Hoje a MMX tem capacidade de produção de 8,7 milhões de toneladas de ferro em Minas, total que pode subir para 23 milhões de toneladas anuais com os investimentos em curso.
 

O minério de Pau de Vinho será escoado pela MRS Logística, empresa da qual a Usiminas é sócia. Mas Bruijn afirmou que não há qualquer acordo entre a MMX e a Usiminas relativo à logística ferroviária. "Nesta parte cada empresa cuidará dos seus próprios interesses ao negociar o seu transporte", afirmou.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar