acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Refino

US$ 900 milhões para modernização da Revap

23/05/2006 | 00h00

A assinatura dos contratos de modernização da Refinaria Henrique Lage (Revap) e da construção de novas unidades de coqueamento retardado e de hidrotratamento de nafta de coque, além de unidades auxiliares, ocorre nesta terça-feira (23/05), em Nova Iorque.

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, e dos diretores Almir Barbassa (Financeiro), Paulo Roberto Costa  (Abastecimento) e Renato Duque (Serviços) estão em Nova Iorque para a assinatura do documento, que através do qual a companhia Toyo Engeneering Corporatino assume o EPC das obras, ainda que tenha um acordo com a Petrobras de utilizar a taxa de consteúdo nacional de 80% no fornecimento de bens e serviços.

O financiamento para as obras será de cerca de US$ 900 milhões, sendo a maior parte (54%), equivamente a US$ 486 milhões, proveniente do Japan Bank for International Cooperation (JBIC). O projeto ainda contará com US$ 378 milhões  provenientes de um sindicato de bancos comerciais formado por Santander Banespa, Bank of Tokyo Mitsubishi, Caylon Corporate and Investment Bank, Societe  Generale, BNP Paribas, Standard Chartered Bank e Sumitomo Mitsui Banking  Corporation  (SMBC),  alem  de  US$  36 milhões provenientes das Trading Companies japonesas Mitsui & Co Ltd e Itochu Corporation.
 
Segundo informa a Petrobras, as obras devem começar no segundo trimestre de 2006, com o início das operações previsto para o primeiro trimestre de 2009. A Revap é a quarta maior unidade de refino da Petrobras e está localizada no Vale do Paraíba, a 90 Km de São Paulo.
Conforme ressalta a companhia, o projeto de  modernização da refinaria alinha-se aos investimentos que vêm sendo efetivados pela Petrobras visando ampliar a capacidade de seu parque de refino para processar petróleo nacional. "O objetivo do empreendimento é  aumentar a quantidade de conversão de óleo combustível em derivados mais leves, ajustar o óleo diesel produzido às novas especificações nacionais, iniciar a comercialização de coque pela refinaria e reduzir a emissão de poluentes", se lê no comunicado emitido pela companhia.

A Petrobras estima que o projeto gerará, aproximadamente, 11.500 empregos diretos e 14.500 indiretos durante sua fase de construção. A Companhia promoverá a capacitação da mão-de-obra local durante a implementação do empreendimento, e contratará empresas locais de médio porte para realizar as obras de infra-estrutura do projeto.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar