acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petroquímica

Unipar eleva ganhos em 63%

13/08/2004 | 00h00

A Unipar obteve um lucro líquido de R$ 51 milhões no segundo trimestre deste ano, montante 287% maior que os R$ 13 milhões do mesmo período de 2003 e maior lucro trimestral da empresa nos últimos quatro anos. No primeiro semestre, o lucro atingiu R$ 83 milhões, 63% maior do que os R$ 51 milhões apurados no mesmo período do ano passado. No primeiro semestre, a receita líquida cresceu 14% para R$ 942 milhões e a receita bruta teve alta de 21% e somou R$ 1,349 bilhão. O Ebitda (geração de caixa) subiu 34% e alcançou R$ 178 milhões.
O resultado foi reflexo do aumento dos preços internacionais dos produtos da empresa (petroquímicos) com a retomada da atividade econômica na Ásia, Estados Unidos e Europa, da recuperação de margens e do aumento no nível de uso da capacidade instalada das empresas. Todas operam praticamente a plena carga, informou o vice-presidente da Unipar, Vítor Mallmann.
- A demanda interna está aquecida e os preços internacionais estão bons - disse.
A Divisão Química e o grupo das empresas controladas integralmente (União Terminais, Unipar Comercial e Polietilenos União) tiveram um lucro de R$ 61 milhões (32% acima do primeiro semestre de 2003, quando foi de R$ 46 milhões), sendo R$ 27 milhões no primeiro trimestre e R$ 34 milhões no segundo trimestre. A Divisão Química, como empresa independente, rendeu R$ 30 milhões, 47% acima de 2003. O volume de vendas cresceu 5% e a empresa teve uma recuperação do preço do cumeno, seu principal produto, que passou de R$ 100 a tonelada no primeiro semestre de 2003 para R$ 113 no último.
Mallman também destacou o resultado da controlada (não integral) Petroquímica União (PQU), que obteve lucro líquido de R$ 80,1 milhões - 215% maior que os R$ 25,5 milhões registrados entre janeiro e junho de 2003 e 7,67% superior ao lucro apurado em todo o ano passado, de R$ 74,3 milhões - fruto do aumento de 5% nas vendas e da recuperação da margem operacional da empresa.
- A PQU voltou a ter um resultado compatível com o seu tamanho - comemorou Mallman.
Já o lucro da Petróleo Ipiranga caiu para R$ 116,3 milhões no primeiro semestre deste ano contra R$ 238,2 milhões no primeiro semestre de 2003. A receita bruta do grupo, porém, cresceu de R$ 10,457 bilhões de janeiro a junho do ano passado para R$ 10,774 bilhões no semestre passado. A geração de caixa (Ebtida) também aumentou para R$ 470 milhões este ano contra R$ 390 milhões no primeiro semestre de 2003.
Segundo o diretor-superintendente da Companhia Brasileira de Petróleo Ipiranga (CBPI), Leocadio de Almeida Antunes Filho, a queda no lucro pode ser atribuída à redução da equivalência patrimonial, de R$ 59 milhões no primeiro semestre de 2003 para R$ 17 milhões agora. Outro fator que pesou no resultado foi a desvalorização do real. No ano passado, houve uma apreciação do real de 18,3% e neste ano a queda chega a 8%, segundo a empresa.
- O refino enfrenta um momento de incompatibilidade entre os preços do mercado interno e o internacional - reclamou Antunes.



Fonte: Jornal do Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar