acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Unipar busca ativos fora da petroquímica

19/08/2010 | 10h06
A Unipar, ex-controladora da petroquímica Quattor, está em busca de novos negócios fora do setor petroquímico. José Octávio Mello, presidente executivo da empresa, disse ao Valor que a companhia, com R$ 700 milhões em caixa, avalia investimentos nas áreas de infraestrutura, logística e material de construção. "Estamos olhando empresas operacionais atrás de negócios médios. A meta é termos o controle de uma empresa de médio porte e mais uma ou duas participações minoritárias. O foco é o Brasil", informou o executivo.


A ex-holding do setor petroquímico, que chegou a ser a segunda maior empresa do ramo no mercado brasileiro, agora tem nova razão social - Unipar Participações. A mudança foi votada em assembleia geral de acionistas logo após o fechamento da operação de venda da controlada Quattor para a Braskem, em abril. "O valor total do negócio foi de R$ 870 milhões. Recebemos R$ 700 milhões à vista e R$ 170 milhões foram usados para quitar dívida com o BNDES que foi repassada à Braskem". A fase de transição terminou no segundo trimestre.


Segundo Mello, a Unipar, após a negociação, ficou bem, inclusive com boa liquidez. "Temos agora um caixa de R$ 700 milhões, maior que a dívida da empresa. Amortizamos mais de R$ 380 milhões da dívida no segundo trimestre. No primeiro trimestre, o débito era de R$ 850 milhões. Nosso passivo com bancos vai até 2014 e tem um custo muito baixo, de 105,5% do CDI", informou o executivo.


Na semana passada, a Unipar divulgou o balanço do segundo trimestre. Foi o primeiro resultado após a saída do setor petroquímico. No período, a companhia da família Geyer apresentou lucro de R$ 11,9 milhões. No acumulado do semestre, o ganho consolidado somou R$ 16,3 milhões. O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Lajida) do segundo trimestre somou R$ 32 milhões.


O resultado consolidado do balanço da Unipar foi gerado pela Carbocloro, único ativo operacional que existe hoje sob o guarda-chuva da Unipar Participações. O controle da Carbocloro é dividido meio a meio entre a Unipar e a americana Occidental Chemical Corporation.


"A Carbocloro é um ativo parrudo que fatura entre R$ 850 milhões e R$ 1 bilhão ano", informou Mello. A indústria produz 400 mil toneladas anuais de soda e 350 mil toneladas anuais de cloro, depois de um plano de expansão desenvolvido no início de 2009, que ampliou a capacidade nominal da empresa em 40%. As perspectivas para o desempenho da fabricante química são positivas para o segundo semestre, apesar de ser um período atípico por causa das eleições. "A demanda por soda vem crescendo. É um insumo usado em geral por todo tipo de indústria, bem como o cloro, consumido muito pelos setores de papel e celulose e alumínio".


A reestruturação ocorrida na Unipar - com a alteração de sua razão social para Unipar Participações -, propiciando à empresa nova condição societária de atuar como holding diversificada e não mais focada num único negócio, permite também à companhia se associar a fundos de investimento em novos negócios. Mello admitiu que já recebeu propostas de alguns fundos para investir. "Estamos olhando com muita cautela, em busca de novos rumos e estamos preparados para isso", afirmou o executivo da Unipar, que pretende ter definido o novo portfólio da companhia em 2011.


Recentemente, a agência de classificação de risco Fitch elevou em dois níveis o rating nacional de longo prazo da Unipar Participações. O rating evoluiu de A- (bra) para A+ (bra), com perspectiva estável. Segundo a Fitch, a medida reflete o efeito positivo no perfil de crédito da companhia após a alienação de sua participações societárias na Quattor, na Unipar Comercial e na Polibutenos.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar