acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Inovação

UFRJ irá gerar energia

04/09/2013 | 11h50
UFRJ irá gerar energia
Andre Gomes de Melo Andre Gomes de Melo

 

O campus da Ilha do Fundão da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) vai ganhar um grande estacionamento com painéis solares conectados à rede da Light, tornando a faculdade uma geradora de energia. Apresentado na terça-feira (3) na Secretaria de Ambiente, o projeto faz parte das primeiras iniciativas que serão financiadas pelo Fundo Verde.
Instituído pelo Decreto 43.903/12, o fundo foi aprovado pelas secretarias de Ambiente, de Fazenda e de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços. Em experiência pioneira do país, o Governo do Estado abre mão de receber o ICMS da conta de luz da UFRJ e converte, anualmente, R$ 7 milhões de impostos para projetos ecológicos da universidade.
Batizado de "árvores solares", o primeiro projeto vai construir um estacionamento coberto por painéis solares no campus do Fundão. Inicialmente, o espaço terá cerca de 20 metros quadrados e contará com cinco placas capazes de gerar 100 quilowatts. A energia gerada será injetada na rede elétrica da concessionária.
"Vamos deixar os carros na sombra e, ao mesmo tempo, gerar energia para diminuir o consumo tradicional. O fato da instalação ser na parte de baixo também vai dar visibilidade ao projeto", disse Edson Watanabe, vice-diretor da Coppe/UFRJ e conselheiro do Fundo Verde.
A segunda ideia a ser executada será a instalação de placas solares no teto do Instituto de Pediatria da UFRJ. Uma parte será destinada para geração de energia e outra para o aquecimento de água utilizada pelo hospital. O terceiro projeto financiado pelos R$ 7 milhões será o investimento num sistema de controle das contas de água e de luz da universidade, que giram em torno de R$ 12 milhões e 25 R$ milhões respectivamente. O objetivo é reduzir o valor em cerca de 30%.
De acordo com o secretário de Ambiente, Carlos Minc, o recuso também será utilizado para investir em planos de mobilidade sustentável da UFRJ, que incluem o carro elétrico, o ônibus de hidrogênio e o Maglev - trem de levitação que fará percurso de um quilômetro entre a Engenharia e o Hospital Universitário.
"Todas as boas ideias precisam de sustentabilidade econômica para não ficarem só nas cabeças dos pesquisadores. A universidade terá R$ 7 milhões por ano para que ideias maravilhosas sejam executadas. Esse dinheiro vai realizar sonhos, que servirão de exemplos para os alunos. Serão projetos sustentáveis que depois retornarão para nós" disse Minc.
Os projetos dos painéis solares, na ordem de R$ 2 milhões cada, devem começar a funcionar no ano que vem, após período de licitação. Os editais serão lançados até o fim deste mês.

O campus da Ilha do Fundão da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) vai ganhar um grande estacionamento com painéis solares conectados à rede da Light, tornando a faculdade uma geradora de energia. Apresentado na terça-feira (3) na Secretaria de Ambiente, o projeto faz parte das primeiras iniciativas que serão financiadas pelo Fundo Verde.


Instituído pelo Decreto 43.903/12, o fundo foi aprovado pelas secretarias de Ambiente, de Fazenda e de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços. Em experiência pioneira do país, o Governo do Estado abre mão de receber o ICMS da conta de luz da UFRJ e converte, anualmente, R$ 7 milhões de impostos para projetos ecológicos da universidade.


Batizado de "árvores solares", o primeiro projeto vai construir um estacionamento coberto por painéis solares no campus do Fundão. Inicialmente, o espaço terá cerca de 20 metros quadrados e contará com cinco placas capazes de gerar 100 quilowatts. A energia gerada será injetada na rede elétrica da concessionária.


"Vamos deixar os carros na sombra e, ao mesmo tempo, gerar energia para diminuir o consumo tradicional. O fato da instalação ser na parte de baixo também vai dar visibilidade ao projeto", disse Edson Watanabe, vice-diretor da Coppe/UFRJ e conselheiro do Fundo Verde.


A segunda ideia a ser executada será a instalação de placas solares no teto do Instituto de Pediatria da UFRJ. Uma parte será destinada para geração de energia e outra para o aquecimento de água utilizada pelo hospital. O terceiro projeto financiado pelos R$ 7 milhões será o investimento num sistema de controle das contas de água e de luz da universidade, que giram em torno de R$ 12 milhões e 25 R$ milhões respectivamente. O objetivo é reduzir o valor em cerca de 30%.


De acordo com o secretário de Ambiente, Carlos Minc, o recuso também será utilizado para investir em planos de mobilidade sustentável da UFRJ, que incluem o carro elétrico, o ônibus de hidrogênio e o Maglev - trem de levitação que fará percurso de um quilômetro entre a Engenharia e o Hospital Universitário.


"Todas as boas ideias precisam de sustentabilidade econômica para não ficarem só nas cabeças dos pesquisadores. A universidade terá R$ 7 milhões por ano para que ideias maravilhosas sejam executadas. Esse dinheiro vai realizar sonhos, que servirão de exemplos para os alunos. Serão projetos sustentáveis que depois retornarão para nós" disse Minc.


Os projetos dos painéis solares, na ordem de R$ 2 milhões cada, devem começar a funcionar no ano que vem, após período de licitação. Os editais serão lançados até o fim deste mês.



Fonte: Ascom Sedeis
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar