acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Investimento

Tuper investe para atender setores naval e de óleo e gás

08/04/2011 | 09h47

A fabricante de tubos de aço e sistemas de escapamentos Tuper, empresa com sede em São Bento do Sul (SC), irá investir, até 2012, R$ 230 milhões com o objetivo de entrar no segmento de tubos de grandes dimensões. Atenta ao crescimento da demanda no mercado de construção civil e do setor de óleo e gás, a empresa espera ampliar entre 60 mil a 80 mil toneladas a capacidade de processamento de aço até o primeiro semestre do ano que vem e de 150 mil a 160 mil toneladas até 2013. Em 2010, a Tuper processou 240.697 toneladas. A estimativa para este ano é de que sejam transformadas 320 mil toneladas.



Segundo Frank Bollmann, principal executivo da Tuper, a decisão de entrar no mercado de grandes dimensões é motivada pela expectativa de fornecer aos projetos do pré-sal. A intenção é certificar os novos tubos junto à Petrobras até o ano que vem. Clientes na indústria naval também são alvo da Tuper no novo segmento de tubos.

 

Hoje, a maior tubulação produzida pela empresa é de 127 milímetros de diâmetro com 7 mm de espessura. A partir do primeiro semestre de 2012, a empresa começará a fabricar tubos de 140 mm de diâmetro até 340 mm de diâmetro e 16 mm de espessura.


De acordo com Bollmann, será necessária a construção de 650 m2 em um novo pavilhão junto a fabrica, em São Bento do Sul, para abrigar as novas linhas. Hoje, a Tuper tem quatro unidades industriais e cerca de 70 mil m2 de área construída. Os investimentos também devem gerar a contratação de 250 novos empregados. A empresa mantém uma equipe de 2.325 trabalhadores diretos.


Em 2010, a Tuper alcançou um faturamento de R$ 895 milhões, superando em 33% o de 2009 - que foi de R$ 674 milhões. A previsão inicial era de que a companhia atingisse a casa do R$ 1 bilhão em receita. Mas, de acordo com Bollmann, a queda no preço do aço impactou nos resultados. "Atingimos o volume de vendas física esperados, de 240,7 mil toneladas, mas o resultado foi impactado pela oferta maior que a demanda do aço no mercado nacional", diz.


Na avaliação de Bollmann, o faturamento deve alcançar a casa do R$ 1 bilhão com facilidade em 2011. A expectativa é que a Tuper repita o desempenho do ano passado, quando as vendas tiveram crescimento de mais de 30% em relação ao ano anterior.


O mercado interno sustentou o crescimento. No ano passado, apenas 2% das vendas foram direcionadas ao mercado externo, com foco na América do Sul.


A fabricação de sistemas construtivos, como coberturas perfis estruturais, acabamentos, chapas e blanks, também vem crescendo de importância nas vendas da companhia. O segmento surgiu na empresa em 1989 e representa 55 mil toneladas/ano em capacidade de produção na estrutura da Tuper. Bollmann vê com bons olhos as perspectivas com o crescimento do mercado de construção civil para o segmento popular. Segundo dados da Associação Brasileira de Construção Metálica (Abcem), a Tuper é líder no segmento de coberturas metálicas.


No setor de escapamentos, Bollmann diz que há investimento para adequação das peças ao padrão Euro 5, que prevê redução nas emissões de gases. A Tuper tem capacidade de fabricação de 4,5 milhões de peças ano e unidade de produção em Xanxerê (SC), onde adquiriu a Vanzin, em 2008.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar