acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Licitação

Transpetro comprará 26 navios por cerca de US$ 2,4 bi

12/07/2006 | 00h00

A Transpetro apresentou nesta quarta-feira (12/07) o resultado das negociações com o consórcio vencedor do lote de navios Suezmax, na licitação da primeira fase dos 42 navios que serão encomendados pela estatal.

Com a conclusão das negociações para a construção do lote de 10 Suezmax, a Transpetro conclui a primeira fase da licitação para o Programa de Modernização e Ampliação da Frota (Promef), que inclui a construção de 26 navios. O valor total da encomenda será de US$ 2.483.479 e o desconto obtido pela Transpetro na negociação com os vencedores da licitação foi de US$ 382 milhões.

O valor ultrapassa o dobro da estimativa feita pela companhia há cerca de dois anos, quando iniciou o processo de formulação da licitação. Na época, o valor anunciado para a construção de 26 navios era de cerca de US$ 1,1 bilhão e os 42 navios sairiam por US$ 1,9 bilhão.

O presidente da companhia atribui a alta de preços ao aumento dos custos no setor naval mundialmente em função do aquecimento do mercado, ao aumento dos custos do aço internacionalmente e a alterações cambiais.

As mesmas explicações de Machado contestam a nota de repúdio do secretário de Energia, Indústria Naval e do Petróleo, Wagner Victer, sobre o resultado da licitação.

Na nota enviada pela Secretaria se lê: "Na primeira vez que a Transpetro realizou licitação para petroleiros Suesmax, em 2001, o Estaleiro EISA do Rio de Janeiro foi o vencedor apresentando uma proposta de US$ 75 milhões por cada Suezmax. Portanto, segundo Wagner Victer, o preço do “estaleiro virtual”, variando entre US$ 127,588 milhões (valor do primeiro petroleiro) e US$ 116,293 milhões (valor do último navio), apresentado hoje (12/03), resultando em um investimento médio de US$ 120,950 milhões para cada Suezmax, deve ser considerado no mínimo abusivo para os cofres públicos".

Durante a coletiva à imprensa na sede da Transpetro, Machado afirmou: "Se pudéssemos parar o tempo, poderíamos comprar navios até por R$ 30 mil, mas os preços de hoje são esses que estão aí".

O consórcio Atlântico Sul, formado pelas empresas Construções e Comércio Camargo Correa, Andrade Gutierrez SA Naval, Construtora Queiróz Galvão e estaleiro Aker Promar, primeiro colocado na licitação aceitou a redução de 10% no preço médio dos navios Suezmax. O valor passou de US$ 134.411.925 da proposta inicial para US$ 120.950.000.

O preço médio internacional para navios deste porte considerando a customização exigida pela empresa e os custos financeiros seria de US$ 120.878.000. O presidente da Transpetro, Sérgio Machado, informa que apenas no aspecto de financiamento, as taxas de juros internacionais seriam de 6,65% ao ano, com período de amortização de 10 anos, enquanto no Brasil a taxa de juros para o setor é de 2,5% ao ano e o prazo de amortização é de 20 anos.
O presidente da Transpetro espera que os Suezmax comecem a ser construídos em um ano e entregues em dois anos. O cronograma de entrega dos 26 navios deverá estar em torno de três ou quatro anos.O objetivo da Transpetro é voltar a atender cerca de 50% das necessidades da Petrobras, atualmente a subsidiária de logística estatal atende apenas 16% das necessidades de transporte da matriz. Dos 120 navios da Petrobras, 47 são da Tranpetro, o restante são afretados.

Conclusão da primeira fase do Promef para construção de 26 navios:

Lote1: 10 Suezmax serão construídos pelo consórcio Atlântico Sul (Camargo Correa, Andrade Gutierrez, Queiróz Galvão, Aker Promar e Samsung), em Pernambuco.

Lotes 2: 05 Aframax serão contruídos pelo consórcio Rio Naval (Grupo MPE, IESA, Sermetal, Hyundai), no Rio de Janeiro, 

 Lote 3: 04 Panamax serão construídos pelo consórcio Rio Naval no Rio de Janeiro

Lote 4: 04 navios de Produtos serão construídos Estaleiro Mauá-Jurong em Rio de Janeiro 

Lote 5: 03 navios Gaseiros serão construídos pelo Estaleiro Itajaí em Santa Catarina.



Fonte:
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar