acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Tractebel assume SER, que lidera consócio de Estreito

23/12/2009 | 09h36
A Tractebel Energia, empresa do Grupo GDF Suez, acertou com a sua controladora a compra da empresa Suez Energia Renovável (SER) por R$ 604 milhões. O principal ativo da SER é a participação no Consórcio Estreito Energia (Ceste), responsável pela construção e operação da Usina Hidrelétrica de Estreito, no Rio Tocantins, que terá 1,087 mil megawatts de potência instalada quando entrar em operação, o que está programado para fevereiro de 2011.


O consórcio, no qual a SER detém 40,07% de participação, também é composto pela Vale, com 30%, pela Estreito Energia (do Grupo Alcoa), com 25,49%, e pela Camargo Corrêa Geração de Energia, com outros 4,44%.


Com a aquisição, a Tractebel passa a liderar a sociedade e a operação adicionará 435 MW de potência à geração total da companhia. De acordo com o diretor-presidente da Tractebel, Manoel Zaroni, sua empresa acordou com os sócios que ficará a cargo da operação comercial da usina, que tem prazo para início em fevereiro de 2011.


"A usina de Estreito tem energia vendida no mercado regulado a partir de 2012. Sendo assim, teremos um ano com energia para comercializar na Tractebel", afirmou Zaroni, em teleconferência com analistas, ocorrida ontem.


A SER vendeu 256 MW médios por um período de 30 anos a partir de primeiro de janeiro de 2012. A concessão da usina vai até o ano de 2037 e é renovável por mais 20 anos.


O pagamento dos R$ 604 milhões será feito em duas etapas. A primeira parte, de R$ 302 milhões, sai do caixa da empresa em até 30 dias. O restante será pago até 31 de julho de 2010, desde que obtidas as autorizações necessárias à concretização do negócio. Caso as liberações não sejam obtidas até a data, o montante será pago em 10 dias após a obtenção de todas as anuências.


Além desses valores, a conta também envolve eventuais adiantamentos para futuro aumento de capital a serem realizados pela GDF Suez na SER. Caso aprovados pela Tractebel, os valores serão devolvidos para a GDF Suez, atualizados monetariamente.


Desde a criação da empresa, a GDF Suez já realizou aportes de R$ 324 milhões na SER, sendo R$ 79,9 milhões por meio de adiantamentos para futuro aumento de capital.


Fonte: Jornal do Commercio
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar