acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Opinião

Técnicos e tecnólogos são mais necessários para a indústria brasileira que engenheiros

12/09/2012 | 16h16

 

O gerente executivo de Educação e Tecnologia do Senai, Rolando Vargas Vallejo, afirmou durante o 27º Congresso Brasileiro de Manutenção (Abraman), que não há uma necessidade tão grande de engenheiros no mercado como muitos afirmam.
“Técnicos e tecnólogos são os profissionais mais necessários na indústria brasileira atualmente”, disse Vargas em Mesa Redonda sobre os desafios na formação de mão de obra na área de manutenção. Para ele, as empresas têm atribuído a engenheiros funções que devem ser exercidas por profissionais com formações técnicas. “É necessário mostrar para as empresas que elas precisam de técnicos e tecnólogos”, afirmou.
Vargas disse ainda que o Senai construirá 53 novos centros de ensino, incluindo unidades móveis, caminhões e um barco, que oferecerão infraestrutura para aulas e avaliações. Também serão criados 23 institutos de inovação e 38 de tecnologia, em que os alunos terão o objetivo de solucionar problemas técnicos existentes atualmente na indústria.

O gerente executivo de Educação e Tecnologia do Senai, Rolando Vargas Vallejo, afirmou durante o 27º Congresso Brasileiro de Manutenção (Abraman) que acontece até o dia 14 no Rio de Janeiro, que não há uma necessidade tão grande de engenheiros no mercado como muitos afirmam.


“Técnicos e tecnólogos são os profissionais mais necessários na indústria brasileira atualmente”, disse Vargas em Mesa Redonda sobre os desafios na formação de mão de obra na área de manutenção. Para ele, as empresas têm atribuído a engenheiros funções que devem ser exercidas por profissionais com formações técnicas. “É necessário mostrar para as empresas que elas precisam de técnicos e tecnólogos”, afirmou.


Vargas disse ainda que o Senai construirá 53 novos centros de ensino, incluindo unidades móveis, caminhões e um barco, que oferecerão infraestrutura para aulas e avaliações. Também serão criados 23 institutos de inovação e 38 de tecnologia, em que os alunos terão o objetivo de solucionar problemas técnicos existentes atualmente na indústria.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar