acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Técnicos brasileiros vão à Venezuela ajudar a resolver problemas de geração de energia

08/02/2010 | 14h07
Em busca de saídas para solucionar a crise energética na Venezuela, técnicos enviados pelo presidente Hugo Chávez passaram os últimos dias reunidos em Brasília, de acordo com informações de especialistas. O objetivo é resolver as dificuldades de geração de energia na Barragem de Guri, a maior daquele país. Quando atinge 240 metros, a usina passa a ter problemas para gerar energia. Peritos da Eletrobrás devem seguir para a Venezuela ainda este mês.
 

Os brasileiros vão repassar os conhecimentos obtidos por meio da experiência ocorrida no Pará, na Usina de Tucuruí. No passado, a usina foi alvo de dificuldades semelhantes às que ocorrem na Venezuela, por isso os técnicos da Eletrobrás têm experiência para lidar com a falha.

 

A participação dos especialistas brasileiros tem a coordenação dos ministérios de Minas e Energia e das Relações Exteriores. O chefe do Departamento da América do Sul 2 do Itamaraty, ministro Clemente de Lima Baena Soares, cuida das questões políticas, administrativas e legais para a parceria entre o Brasil e a Venezuela.

 

 

No final do mês passado, os presidentes Chávez e Luiz Inácio Lula da Silva definiram a parceria. Inicialmente, foram enviados para analisar a situação o secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, e o assessor para Assuntos Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia.

 

Na reunião, Zimmermann e Garcia trataram também da questão do risco de prejuízos para parte do estado de Roraima em decorrência do racionamento de energia na Venezuela, uma vez que a região é abastecida pelo país vizinho.

 

Segundo o Ministério de Minas e Energia, a promessa da Venezuela é de que o corte para Roraima será de no máximo 20 megawatts por mês até março. De acordo com autoridades, o problema no lado brasileiro está sendo solucionado a partir da contratação de energia de produtores independentes.

 

As dificuldades em relação ao abastecimento de energia na Venezuela foram agravadas no final do ano passado com a redução dos níveis da água na Barragem Guri, onde fica o complexo hidrelétrico que produz 70% da eletricidade do país. A preocupação maior é que os níveis de água da barragem têm diminuído, em média, 11 centímetros por dia.



No fim do ano passado, Chávez chegou a ir à televisão e pediu que os venezuelanos evitassem longos banhos, assim como não utilizassem banheiras. Bem-humorado, ele afirmou ainda que o ideal era não cantar durante o banho, porque isso prolongaria o tempo de uso de água.



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar