acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Technip construirá nova fábrica de flexíveis no Rio de Janeiro

18/11/2011 | 17h59
O Grupo Technip construirá sua segunda fábrica brasileira de tubos flexíveis no Porto de Açu, no estado do Rio de Janeiro. Esse investimento tem como objetivo expandir a capacidade de produção de flexíveis da empresa no país, visando atender, principalmente, às demandas previstas para o desenvolvimento das reservas do pré-sal. A empresa possui uma outra fábrica de flexíveis em Vitória, ES, que em 2011 completou 25 anos.

A nova fabrica terá como foco principal produtos de alta tecnologia, tais como o Integrated Production Bundle (IPB), tecnologia exclusiva da companhia. A construção terá inicio em 2012 com toda a preparação da área, e deve iniciar operações no segundo semestre de 2013.

“O Grupo Technip está investindo em novas instalações no Brasil, visando atender principalmente às demandas advindas a partir da exploração do pré-sal. Precisamos estar preparados para os desafios que virão, e o arrendamento dessa área no Superporto do Açu nos ajudará a atingir esses objetivos”, declarou José Jorge Araújo, Diretor Presidente da Technip Brasil.

Além da nova fábrica no Porto de Açu, a Technip continua investindo na modernização e ampliação do Porto de Angra dos Reis, do qual é arrendatária desde 2009. O projeto, que em sua primeira fase já foi submetido aos órgãos ambientais e agora aguarda a obtenção das licenças, prevê a ampliação da área do terminal portuário dos atuais 78.000 m² para 129.026 m², com a realização de obras de aterramento e construção do terceiro berço e do enrocamento.

Com os investimentos que a Technip está fazendo no Brasil, fica evidente a intenção da empresa de se preparar para o desenvolvimento do pré-sal. A expectativa do Grupo é de que o número de colaboradores no país cresça dos atuais 3.400 para cerca de 6.000 pessoas nos próximos quatro anos.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar