acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Logística

Suzano Petroquímica escolhe empresas transportadoras

26/01/2006 | 00h00

Novos contratos com transportadores de resinas envolvem fretes no valor de R$ 40 milhões. A Suzano Petroquímica, adiantando-se ao aquecimento na demanda doméstica por resinas esperados pelo mercado para 2006, está em processo de avaliação de empresas de logística para renovação de seus contratos, que representam nada menos de R$ 40 milhões para este ano.

Dentro de duas semanas, a Suzano divulgará as 13 transportadoras que levarão a conta. Das 13 empresas que prestam serviços hoje, no mínimo três e no máximo seis serão renovadas.

Renovação de contratos - "Haverá trocas, mas o ponto forte será maior velocidade e segurança com a renovação dos contratos e com as medidas que estamos tomando desde o ano passado", disse o gerente de logística da Suzano Petroquímica, Waldir de Lima.

Ao todo, 60 empresas nacionais se candidataram ao posto e tentaram provar ser capazes de entrar em um grupo logístico que transportará 500 mil toneladas de resinas de polipropileno (PP) este ano, que é a soma da produção das três fábricas de PP da Suzano no País (BA, RJ e SP). O escoamento desta produção representa 2,2 mil viagens ao mês para todos os cantos do País onde haja grandes transformadores de plástico. Depois da primeira pré-avaliação ficaram 20, das quais 13 serão divulgadas nas próximas semanas.

A principal causa da eliminação das empresas foi a falta de frota própria. "Não podemos correr nenhum risco de um terceiro não cumprir prazos com a empresa contratada", disse Lima. Mesmo com as empresas que seguirão contratadas, segundo o executivo, a idéia é otimizar o tempo das viagens e forma de entregas.

Além disso, na escolha das empresas a Suzano considerou o selo Sassmaq (Sistema de Avaliação de Segurança, Saúde Meio Ambiente e Qualidade). O Sassmaq prevê a redução, de forma contínua e progressiva, e foi elaborado pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim).

Abastecimento dos silos - As frotas de caminhões devem estar aptas a se enquadrar nos serviços oferecidos pela Suzano como o Tracking Online, que permite ao cliente acompanhar por rede o trajeto do caminhão. Outro serviço da Suzano ao qual as frotas devem se enquadrar é o rastreamento de 100% de suas cargas. Como a petroquímica iniciou, também no ano passado, a instalação de silos de armazenamento em suas empresas clientes - os silos são abastecidos por caminhões-tanques, em vez do descarregamento feito com sacos com pelotas de resinas - as transportadoras também devem se enquadrar neste tipo de logística.

Garantias do contrato - As contrapartidas garantidas pela empresa são vantajosas. "Garantimos de 20% até 100% do volume de uma das três fábricas da Suzano, ou então por rota transportada", disse Lima.

A Suzano já opera hoje com grandes transportadoras que poderão permanecer na empresa, pois possuem expertise no transporte de produtos petroquímicos.

Entre as transportadoras que já prestam serviços à Suzano hoje estão a Transultra, do grupo Ultra, a Della Volpe, a Jolivan, a Rodomodal e Trelsa, entre outras que formam um grupo de 13. "Entre três e seis empresas deverão ser substituídas", disse.

A Suzano Petroquímica transporta resinas de polipropileno (PE), em forma de bolinhas, para as grandes transformadoras do País, que são empresas que utilizam o plástico diretamente em sua linha de produção. Entre as maiores consumidoras da Suzano por granel, e que já possuem volumes de resinas encomendadas para o início do ano, estão a Alcoa, Colgate, Arno e Basell (que faz entre outras produtos auto-peças de plástico para a indústria automobilística) em São Paulo, a Mecesa, no Ceará, Plascalp na Bahia e a Tramontina no Recife.

A Suzano tem três unidades de resinas termoplásticas no País: em Duque de Caxias (RJ), em Mauá (SP), e Camaçari, localizada na Bahia.

Logística do eteno - O eteno, matéria-prima da Suzano Petroquímica para a produção das resinas de polipropileno (PP), costumam vir das centrais petroquímicas instaladas no País, no caso a Petroquímica União em São Paulo, a Braskem , em Camaçari (BA) e a Rio Polímeros , do Rio. Além disso a empresa recebe eteno também de refinarias da Petrobras, como a Refinaria de Capuava (Recap) em São Paulo. Este transporte não necessita caminhões, já que é feito via tubos. "No caso de nossa unidade em Mauá (SP) temos um tubo para fornecimento de eteno da Recap e outro para receber matéria-prima da PQU", disse o gerente de logística da Suzano, Waldir Lima.



Fonte: Gazeta Mercantil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar