acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Suprema Corte do Chile rejeita térmica de MPX e E.ON

28/08/2012 | 15h18

 

A Suprema Corte do Chile rejeitou o controverso projeto da termelétrica Central Castillha, de US$ 5 bilhões, uma joint venture entre a MPX Energia, do bilionário Eike Batista, e da empresa alemã E.ON, disse uma fonte do tribunal à "Reuters" nesta terça-feira (28).
A aguardada decisão sobre a usina de 2.100 megawatts (MW) é um revés também para o próprio Chile, maior produtor mundial de cobre que já enfrenta escassez e altos preços de energia.
A Suprema Corte determinou que a MPX deverá apresentar um estudo ambiental conjunto do porto e da central termelétrica, que seria a maior unidade de produção de energia a partir de carvão na América do Sul.
Os estudos de impacto ambiental, que tinham sido feitos separadamente, têm recebido forte oposição de entidades sociais e de ambientalistas.
Procurada, a MPX Energia afirmou que no final do dia deve divulgar um comunicado sobre o tema.

A Suprema Corte do Chile rejeitou o controverso projeto da termelétrica Central Castillha, de US$ 5 bilhões, uma joint venture entre a MPX Energia, do bilionário Eike Batista, e da empresa alemã E.ON, disse uma fonte do tribunal à "Reuters" nesta terça-feira (28).


A aguardada decisão sobre a usina de 2.100 megawatts (MW) é um revés também para o próprio Chile, maior produtor mundial de cobre que já enfrenta escassez e altos preços de energia.


A Suprema Corte determinou que a MPX deverá apresentar um estudo ambiental conjunto do porto e da central termelétrica, que seria a maior unidade de produção de energia a partir de carvão na América do Sul.


Os estudos de impacto ambiental, que tinham sido feitos separadamente, têm recebido forte oposição de entidades sociais e de ambientalistas.


Procurada, a MPX Energia afirmou que no final do dia deve divulgar um comunicado sobre o tema.



Fonte: Agência Reuters
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar