acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
GNV

Subsídio à conversão de motores eleva vendas em Minas

22/07/2004 | 00h00

A Gasmig, empresa de comercialização de gás controlada pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), conseguiu aumentar em 9,84% a venda de gás natural veicular graças a uma campanha de subsídio à conversão. Desde que a campanha foi lançada, no início de junho, 775 carros já foram convertidos. A meta é atingir 10 mil veículos convertidos até o fim do ano, o que resultará num aumento de 33% no volume de vendas de Gás Natural Veicular (GNV).
Quem levar o carro para fazer a conversão em uma das 43 oficinas credenciadas pela Gasmig terá direito a um vale-gás para o consumo de 300 m3 de GNV, combustível suficiente para rodar 4 mil quilômetros. O valor do vale-gás corresponde a cerca de R$ 336,00 ou até 15% do preço da conversão. O serviço custa entre R$ 2,3 mil e R$ 2,6 mil dependendo do modelo do carro.
O primeiro balanço de resultado da campanha "Converta-se" foi divulgado ontem. De acordo com a empresa, as vendas de Gás Natural Veicular em junho foram de 1,395 milhão de m3, volume 9,84% maior que o comercializado no mesmo período do ano passado.
"A Gasmig está fazendo uma análise detalhada do desempenho da campanha, pois o objetivo é aumentar ainda mais o ritmo das conversões no Estado", declarou o gerente comercial, José Goés Júnior. A campanha da Gasmig mostra que o GNV é 55% mais econômico que a gasolina e 36% que o álcool. Está sendo amplamente divulgada em rádios, jornais, TV, back bus, outdoors, abrigos de ônibus e placas de estrada na região onde a empresa tem rede de distribuição.
A Gasmig possui hoje 250 quilômetros de rede na região metropolitana de Belo Horizonte, em Juiz de Fora e Barbacena. Por essa rede estão sendo atendidos 57 postos, que comercializam um total de 7,5 milhões de m3 mensais de GNV.
A empresa mineira de comercialização de gás, que fechou o primeiro trimestre com um lucro de R$ 4,3 milhões, espera para os próximos dias a definição da venda de parte de suas ações para a Petrobras. A estatal se tornará sócia da Cemig na Gasmig com uma participação que poderá chegar a 50% do capital. As negociações para a venda estão perto da conclusão, segundo informou ontem a assessoria de imprensa da Cemig. O dinheiro da sociedade com a Petrobras permitirá investimentos na ampliação da rede de distribuição.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar