acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Marca

Statoil comemora marca de 100 milhões de barris produzidos no campo de Peregrino

03/08/2015 | 11h02
Statoil comemora marca de 100 milhões de barris produzidos no campo de Peregrino
Statoil Statoil

 

A Statoil, empresa do setor de óleo e gás sediada na Noruega,  e a estatal chinesa Sinochem estão comemorando uma nova conquista do campo de Peregrino, na bacia da Campos. No último domingo (2 de agosto), foi alcançada a marca de 100 milhões de barris produzidos na área, onde a companhia registrou o primeiro óleo em abril de 2011. 
 
"Estamos muito satisfeitos por termos atingido um marco tão importante em nossas operações. O que conseguimos no Campo de Peregrino demonstra o poder do possível. Temos orgulho de fazer parte de um projeto que é ao mesmo tempo emocionante e desafiador. Estes resultados refletem o profissionalismo dos nossos profissionais e o uso da tecnologia desenvolvida pela Statoil, no Brasil e em tantos outros países onde atuamos no mundo. Seguimos constantemente aprendendo e estamos ansiosos para alcançar novos marcos à medida em que continuamos a desenvolver este grande campo", disse Pål Eitrheim, presidente da Statoil Brasil.
 
Oitavo maior campo do Brasil, de acordo com dados divulgados pela ANP em março de 2015, Peregrino possui o óleo mais pesado já produzido offshore no país. O campo é o maior operado pela Statoil fora da Noruega e responde por cerca de 12% da produção internacional da companhia (em torno de 720 mil barris/dia).
 
A operação engloba duas plataformas fixas de perfuração (WHP A e WHP B), além de uma unidade flutuante de produção e armazenamento (FPSO Peregrino), com capacidade de produção de 100 mil barris/dia. A Statoil detém uma participação de 60% e é a operadora do campo e a Sinochem, os restantes 40%.
Com um excelente histórico, Peregrino já havia comemorado um outro marco histórico no projeto, atingindo em 2014, simultaneamente, metas de produção, eficiência, custo e segurança.
 
Em janeiro deste ano, foi apresentado à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) o Plano de Desenvolvimento da Segunda Fase do Campo de Peregrino. Com investimentos totais previstos de US$ 3,5 bilhões, o projeto prevê uma nova plataforma de perfuração (WHP C) e adiciona cerca de 250 milhões de barris em reservas recuperáveis para o campo de Peregrino. 
 
A segunda etapa do projeto vai permitir a extensão da vida útil de Peregrino e  representa um passo estratégico e importante da empresa em sua trajetória no país, comprovando mais uma vez o compromisso da Statoil com o Brasil.
 
Veja abaixo os prinicipais marcos na história de Peregrino
 
Março de 2010
Plataformas instaladas
WHP-A e WHP-B posicionadas em Peregrino aguardando chegada do FPSO
Maio de 2010
Parceria com a Sinochem
Venda de 40% de participação no campo de Peregrino à chinesa Sinochem
Outubro de 2010
Licenças de perfuração
Ibama concede licença para perfuração de 37 poços produtores em Peregrino
Janeiro de 2011
FPSO Conectado
Conexão com as plataformas transforma o navio em uma unidade flutuante de produção e armazenamento
Abril de 2011
Primeiro óleo
Statoil inicia produção do maior campo operado pela empresa fora da Noruega
Junho de 2011
Primeiro offload
Primeiro carregamento de 380 mil barris parte rumo aos EUA
Abril de 2013
Primeira parada para manutenção
Após dois anos de operação, Statoil faz sua primeira grande parada para manutenção, com duração de 15 dias
Junho de 2013
Plateau de produção
Atingimos a marca de 100.000 barris produzidos ao dia, um marco para o campo de Peregrino
Novembro de 2013
Aumento de POB
Aumento da tripulação a bordo do FPSO. Capacidade passa de 100 para 146, permitindo mais pessoas a bordo para realizar projetos que ajudam a otimizar o desempenho do campo
Fevereiro de 2014
100º offload
Marca é atingida sem nenhum registro de incidente nas operações de aliviamento
Abril de 2014
BCS B-22 atinge três anos
A bomba centrífuga submersa do poço B-22 ultrapassa três anos de vida útil, fazendo dela nossa bomba em operação mais antiga
Novembro/Dezembro de 2014
Eficiência de 96,9% e tríplice coroa
No ano de 2014 atingimos a tríplice coroa: produção acima da meta e abaixo dos custos programados e bons indicadores de segurança
Janeiro de 2015
Segunda Fase planejada
O plano de desenvolvimnto da segunda fase do campo de Peregrino é submetido à ANP.
Junho de 2015
Poço A-17 é perfurado
O poço A-17 é o mais longo já perfurado pela Statoil no Brasil. Ele mede 7.432 metros de profundidade final (incluindo a seção horizontal) e foi entregue antes do previsto

A Statoil, empresa do setor de óleo e gás sediada na Noruega, e a estatal chinesa Sinochem estão comemorando uma nova conquista do campo de Peregrino, na bacia da Campos. No último domingo (2 de agosto), foi alcançada a marca de 100 milhões de barris produzidos na área, onde a companhia registrou o primeiro óleo em abril de 2011. 

"Estamos muito satisfeitos por termos atingido um marco tão importante em nossas operações. O que conseguimos no Campo de Peregrino demonstra o poder do possível. Temos orgulho de fazer parte de um projeto que é ao mesmo tempo emocionante e desafiador. Estes resultados refletem o profissionalismo dos nossos profissionais e o uso da tecnologia desenvolvida pela Statoil, no Brasil e em tantos outros países onde atuamos no mundo.

Seguimos constantemente aprendendo e estamos ansiosos para alcançar novos marcos à medida em que continuamos a desenvolver este grande campo", disse Pål Eitrheim, presidente da Statoil Brasil.

Oitavo maior campo do Brasil, de acordo comm dados divulgados pela ANP em março de 2015, Peregrino possui o óleo mais pesado já produzido offshore no país. O campo é o maior operado pela Statoil fora da Noruega e responde por cerca de 12% da produção internacional da companhia (em torno de 720 mil barris/dia).

A operação engloba duas plataformas fixas de perfuração (WHP A e WHP B), além de uma unidade flutuante de produção e armazenamento (FPSO Peregrino), com capacidade de produção de 100 mil barris/dia.

A Statoil detém uma participação de 60% e é a operadora do campo e a Sinochem, os restantes 40%.

Com um excelente histórico, Peregrino já havia comemorado um outro marco histórico no projeto, atingindo em 2014, simultaneamente, metas de produção, eficiência, custo e segurança.

Em janeiro deste ano, foi apresentado à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) o Plano de Desenvolvimento da Segunda Fase do Campo de Peregrino. Com investimentos totais previstos de US$ 3,5 bilhões, o projeto prevê uma nova plataforma de perfuração (WHP C) e adiciona cerca de 250 milhões de barris em reservas recuperáveis para o campo de Peregrino. 

A segunda etapa do projeto vai permitir a extensão da vida útil de Peregrino e  representa um passo estratégico e importante da empresa em sua trajetória no país, comprovando mais uma vez o compromisso da Statoil com o Brasil.

 



Fonte: Redação/ Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar