acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
GRC 2014

Sistemas de Gestão em Compliance na Indústria de Óleo e Gás

14/11/2014 | 16h20

 

Hoje (14), o I Fórum Latinoamericano de Governança, Riscos e Compliance no setor de petróleo e gás, evento promovido pelo IBP e Arpel, realizado no Rio de Janeiro, chega ao seu último dia. Diante de uma extensa plateia, gestores públicos e privados debateram práticas de gestão e modelos de governança, com o objetivo de fomentar a discussão acerca dos diversos riscos que as empresas estão submetidas em suas atividades econômicas.

As sessões plenárias estimularam a troca de experiências entre os modelos de combate a corrupção e a importância da aplicação e comprometimento dos sistemas de gestão integrada em compliance na prevenção de riscos associados à empresas do setor de óleo e gás. Os palestrantes apresentaram seus métodos de governança corporativa, com base em princípios e práticas que norteiam as grandes empresas do mercado.

Palestras

Em sua exposição, o diretor de gestão de contratos da PPSA, Renato Marcos Darros de Matos, apresentou a estrutura organizacional e as atribuições da estatal, tomando como referência o sistema de gestão do contrato de partilha do campo de Libra. A PPSA tem por objetivo representar a União através da gestão de contratos de partilha, comercialização e individualização da produção do pré-sal. “A PPSA tem a missão de promover um choque de realidade sobre a indústria, visando maximizar os resultados econômicos dos contratos de partilha da produção”.

Em seguida, o advogado Olavo Zago, da Veirano Advogados, destacou o papel do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em seu papel de controle preventivo contra condutas anticompetitivas que possam favorecer trustes. “O Cade tem o dever de normatizar marcos regulatório e disciplinar condutas de defesa da concorrência e da liberdade de iniciativa, preceitos da legislação concorrencial” frisou o advogado.

A sessão de encerramento será realizada às 17h com as palavras finais do gerente jurídico e tributário de E&P do IBP, Matias Lopes, e do secretário executivo da Arpel, Jorge Ciacciarelli.



Fonte: Redação TN
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar