acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Mudanças Climáticas

Sistema Firjan assina manifesto em prol de compromissos firmados na COP 21

09/12/2015 | 13h37

 

O Sistema FIRJAN assinou, nesta quarta feira, 9 de dezembro, um manifesto apoiando os compromissos firmados durante a 21ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre a Mudança no Clima - COP 21. O High-Level Business Summit on Energy and Climate Change, organizado pelo MEDEF (Movimento das Empresas da França), reuniu, em Paris, representantes de entidades empresariais de mais de vinte países para discutir o papel das empresas para evitar que as mudanças do clima atinjam proporções ainda mais perigosas. O presidente da FIRJAN, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, é o único participante do Brasil e falou sobre os avanços do país no uso de energias renováveis.
 
Eduardo Eugenio, durante o encontro, ressaltou a importância do uso de energia de forma sustentável, levando em consideração as esferas econômica, ambiental e social: “Para nós é importante que a produção de energia tenha como norte a utilização de fontes renováveis, minimizando a emissão de gases de efeito estufa e, consequentemente, as mudanças climáticas que têm afetado a população mundial. O Brasil tem, dessa forma, buscado soluções para essa questão aumentando a participação de usinas eólicas e solares em sua matriz energética. No ano de 2013, apenas 1,8% da nossa matriz era composta por essas fontes. Atualmente, sua participação já supera os 6%, com previsões de alcançar 13,2% até 2023”.
 
O presidente do Sistema FIRJAN também destacou a necessidade de desenhar políticas que reduzam a utilização de combustíveis fósseis pelo setor de transportes e que criem uma estratégia de transição para a produção industrial de baixo carbono, a partir do aumento da eficiência energética nos processos produtivos.
 
Estiveram no encontro, que acontece no contexto da COP 21, 42 instituições representativas da comunidade empresarial em todo o mundo. Os participantes buscam soluções para atender ao apelo dos cientistas e especialistas sobre a necessidade urgente de uma redução das emissões de gases com efeito estufa para atenuar as alterações climáticas e as previsões desastrosas, com efeitos irreversíveis, na sociedade, na economia e na natureza. Nesse sentido, as empresas têm um papel fundamental, investindo em pesquisas para atuar no desenvolvimento de soluções sustentáveis e inovadoras em setores como transporte, construção e indústria, por exemplo.

O Sistema FIRJAN assinou, nesta quarta feira, 9 de dezembro, um manifesto apoiando os compromissos firmados durante a 21ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre a Mudança no Clima - COP 21. O High-Level Business Summit on Energy and Climate Change, organizado pelo MEDEF (Movimento das Empresas da França), reuniu, em Paris, representantes de entidades empresariais de mais de vinte países para discutir o papel das empresas para evitar que as mudanças do clima atinjam proporções ainda mais perigosas. O presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, é o único participante do Brasil e falou sobre os avanços do país no uso de energias renováveis.
 
Eduardo Eugenio, durante o encontro, ressaltou a importância do uso de energia de forma sustentável, levando em consideração as esferas econômica, ambiental e social: “Para nós é importante que a produção de energia tenha como norte a utilização de fontes renováveis, minimizando a emissão de gases de efeito estufa e, consequentemente, as mudanças climáticas que têm afetado a população mundial. O Brasil tem, dessa forma, buscado soluções para essa questão aumentando a participação de usinas eólicas e solares em sua matriz energética. No ano de 2013, apenas 1,8% da nossa matriz era composta por essas fontes. Atualmente, sua participação já supera os 6%, com previsões de alcançar 13,2% até 2023”.
 
O presidente do Sistema Firjan também destacou a necessidade de desenhar políticas que reduzam a utilização de combustíveis fósseis pelo setor de transportes e que criem uma estratégia de transição para a produção industrial de baixo carbono, a partir do aumento da eficiência energética nos processos produtivos.
 
Estiveram no encontro, que acontece no contexto da COP 21, 42 instituições representativas da comunidade empresarial em todo o mundo. Os participantes buscam soluções para atender ao apelo dos cientistas e especialistas sobre a necessidade urgente de uma redução das emissões de gases com efeito estufa para atenuar as alterações climáticas e as previsões desastrosas, com efeitos irreversíveis, na sociedade, na economia e na natureza. Nesse sentido, as empresas têm um papel fundamental, investindo em pesquisas para atuar no desenvolvimento de soluções sustentáveis e inovadoras em setores como transporte, construção e indústria, por exemplo.

 



Fonte: Redação / Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar