acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Sinopec comprará US$ 3 bilhões em ativos de petróleo e gás

25/03/2013 | 10h33

 

A China Petroleum & Chemical, mais conhecida como Sinopec, petrolífera chinesa que registrou uma queda de 12,8% em seu lucro líquido no ano de informou neste domingo que concordou em formar uma joint venture que irá adquirir US$ 3 bilhões em ativos de petróleo e gás que pertencem atualmente à sua empresa mãe, a China Petrochemical. Os ativos estão localizados em grandes produtores de combustível, como Cazaquistão, Colômbia e Rússia.
As aquisições visam colocar a Sinopec no mesmo nível de gigantes do setor como como a Exxon Mobil, Chevron Corp e Royal Dutch Shell.
"A operação tem um objetivo estratégico de transformar a Sinopec em uma empresa mais internacionalizada”, disse em um comunicado o presidente da Sinopec, Fu Chengyu.
Após a operação, as reservas da Sinopec no exterior serão incrementadas em 359% para 330,2 milhões de barris de óleo equivalente (BOE), dos 72 milhões atuais. Sua produção para o exterior vai aumentar em 171%, para 58,7 milhões de BOE.

A China Petroleum & Chemical, mais conhecida como Sinopec, petrolífera chinesa que registrou uma queda de 12,8% em seu lucro líquido no ano, informou no domingo (24) que concordou em formar uma joint venture que irá adquirir US$ 3 bilhões em ativos de petróleo e gás que pertencem atualmente à sua empresa mãe, a China Petrochemical. Os ativos estão localizados em grandes produtores de combustível, como Cazaquistão, Colômbia e Rússia.


As aquisições visam colocar a Sinopec no mesmo nível de gigantes do setor como a Exxon Mobil, Chevron Corp e Royal Dutch Shell.


"A operação tem um objetivo estratégico de transformar a Sinopec em uma empresa mais internacionalizada”, disse em um comunicado o presidente da Sinopec, Fu Chengyu.


Após a operação, as reservas da Sinopec no exterior serão incrementadas em 359% para 330,2 milhões de barris de óleo equivalente (BOE), dos 72 milhões atuais. Sua produção para o exterior vai aumentar em 171%, para 58,7 milhões de BOE.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar