acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Transparência

Sindigás recebe nota máxima em exame inovador de transparência

13/03/2018 | 12h07

O Sindigás recebeu nota máxima do Observatório da Comunicação Institucional, que desenvolveu um exame inovador de auditoria das relações 360º para avaliar o grau de transparência de organizações. Uma 'Auditoria Funcional da Comunicação', com duração de dois meses, foi realizada por meio de entrevistas internas e externas para avaliar o grau de transparência na gestão da entidade.

Os auditores elaboraram análise documental, pesquisa jornalística de percepção e avaliação do estado das relações da entidade nas cinco instâncias que compõem o indicador desenvolvido: Reconhecimento no meio social, Relacionamento com públicos-chave, Relevância em seu segmento de atuação, Administração da Reputação e Resiliência institucional. O Sindigás obteve nota máxima em uma escala que vai de 0 a 100. Recebeu grau AAAAA no algoritmo '5R INDEX', que classifica a transparência das organizações.

“Além da eficiência, a transparência na gestão corporativa é uma componente importante para a criação de valor de uma instituição. Dado que a comunicação está na essência da cultura de uma organização, entendemos que era importante avaliar a transparência do nosso modo de gestão. Tínhamos a ideia de que já cumpríamos bem os quesitos mensurados, mas o exame pode comprovar de forma científica a nossa percepção”, afirma Sergio Bandeira de Mello, presidente do Sindigás.

A metodologia do Índice de Transparência Ativa '5R INDEX' foi desenvolvida pelo professor da Faculdade de Administração e Finanças da UERJ Manoel Marcondes Neto, em conjunto com a equipe do Observatório da Comunicação Institucional, entidade parceira da Universidade. “Não existe transparência por default ou por osmose. Há que se empreender um amplo esforço de comunicação no sentido dos públicos-alvo. É para eles que as organizações devem se dirigir, muito antes de serem solicitadas a dar satisfações de sua gestão, como acontece hoje – situação que chamamos de transparência passiva”, completa.

O pesquisador ressalta que as boas práticas de governança, adotadas pelo Sindigás nos últimos 10 anos, contribuíram para o resultado. “A criação de colegiados diretivos, a ausência de autocracia, a política radical de portas abertas, as reuniões regulares com pautas e atas públicas, a publicação de todas as deliberações, o pronto atendimento à imprensa, entre outras ações são exemplos de uma atuação pautada na transparência”, resumiu Marcondes Neto.

 

 



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar