acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Resultado

Siderúrgica Ternium registra alta de no lucro do 2º trimestre

31/07/2013 | 09h52

 

A siderúrgica Ternium apresentou lucro líquido de US$ 102,7 milhões no segundo trimestre deste ano, com leve alta de 1,3% em relação aos US$ 101,4 milhões registrados no mesmo período de 2012. Os números são atribuídos aos controladores da empresa e servem de base para o cálculo de dividendos. A Ternium é uma empresa do conglomerado ítalo-argentino Techint e participa do bloco de controle da Usiminas.
A receita líquida da companhia recuou 1,1% na comparação entre os meses de abril, maio e junho de 2012 e o mesmo perído de 2013, passando de US$ 2,16 bilhões para US$ 2,13 bilhões. O resultado operacional do período foi positivo em US$ 276 milhões, com avanço de 7%.
O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ficou em US$ 370,5 milhões, expansão de 6%. A margem Ebitda ficou praticamente estável, em 17%.
O embarque de aço subiu 2% no segundo trimestre, considerando a comparação anual, para 2,213 milhões de toneladas. O embarque de minério de ferro avançou 164%, para 1,218 milhão de toneladas. A diferença no segmento de minério na comparação com 2012 é consequência da consolidação proporcional da Peña Colorada, no México, e das maiores vendas no segmento.
O resultado decorrente da participação da Ternium em outras empresas foi uma perda de US$ 10,3 milhões no trimestre, ante prejuízo de US$ 19,6 milhões no ano passado. A melhora deveu-se aos resultados favoráveis da Usiminas, parcialmente compensados pela consolidação da Peña Colorada em 2013.
A Ternium prevê uma redução no resultado operacional no terceiro trimestre de 2013 em comparação com o segundo, principalmente em decorrência de menores preços médios na Argentina e no México. Os valores médios no México devem diminuir, segundo o relatório, principalmente devido aos preços mais baixos de contrato, que são estabelecidos em conformidade com os níveis de preços de trimestres anteriores.

A siderúrgica Ternium apresentou lucro líquido de US$ 102,7 milhões no segundo trimestre deste ano, com leve alta de 1,3% em relação aos US$ 101,4 milhões registrados no mesmo período de 2012. Os números são atribuídos aos controladores da empresa e servem de base para o cálculo de dividendos. A Ternium é uma empresa do conglomerado ítalo-argentino Techint e participa do bloco de controle da Usiminas.


A receita líquida da companhia recuou 1,1% na comparação entre os meses de abril, maio e junho de 2012 e o mesmo perído de 2013, passando de US$ 2,16 bilhões para US$ 2,13 bilhões. O resultado operacional do período foi positivo em US$ 276 milhões, com avanço de 7%.


O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ficou em US$ 370,5 milhões, expansão de 6%. A margem Ebitda ficou praticamente estável, em 17%.


O embarque de aço subiu 2% no segundo trimestre, considerando a comparação anual, para 2,213 milhões de toneladas. O embarque de minério de ferro avançou 164%, para 1,218 milhão de toneladas. A diferença no segmento de minério na comparação com 2012 é consequência da consolidação proporcional da Peña Colorada, no México, e das maiores vendas no segmento.


O resultado decorrente da participação da Ternium em outras empresas foi uma perda de US$ 10,3 milhões no trimestre, ante prejuízo de US$ 19,6 milhões no ano passado. A melhora deveu-se aos resultados favoráveis da Usiminas, parcialmente compensados pela consolidação da Peña Colorada em 2013.


A Ternium prevê uma redução no resultado operacional no terceiro trimestre de 2013 em comparação com o segundo, principalmente em decorrência de menores preços médios na Argentina e no México. Os valores médios no México devem diminuir, segundo o relatório, principalmente devido aos preços mais baixos de contrato, que são estabelecidos em conformidade com os níveis de preços de trimestres anteriores.

 



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar