acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Siderurgia

Siderurgia Suape trará desenvolvimento industrial ao Norte e Nordeste

06/06/2013 | 12h19

 

A Companhia Siderúrgica Suape (CSS), que deverá receber investimentos de cerca de R$ 1,64 bilhão, iniciará um segmento industrial que hoje não existe no Norte e Nordeste: a siderúrgica de alto valor agregado.
Segundo a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), a CSS bancará R$ 327,8 milhões em recursos próprios e buscará mais R$ 411,2 milhões em outras fontes.
A CSS ficará no megacomplexo industrial e de serviços da Moura Dubeux no entorno de Suape, o Cone S/A. O condomínio de negócios será responsável pelas obras de infraestrutura da fábrica.
Os sócios na siderúrgica são a Trasteel International, multinacional com sede em Luxemburgo, na Europa, que atua nos segmentos de laminação, mineração e vendas internacionais de aço; e a Fábrica Participações, fundo de investimento nacional que tem como sócios ex-executivos de grupos importantes do segmento, como Vale e EBX (companhia de petróleo e energia de Eike Batista).
Há ainda uma parceria tecnológica com a Danieli, empresa italiana com expertise em siderúrgicas que fornecerá equipamentos, montagem e qualificação da mão de obra. E, por fim, participa também a Metal Data, consultoria brasileira do setor.
Quando pronta, a CSS será candidatada a fornecer para diversas cadeias produtivas, como naval, automotiva e eólica, estimulando a vinda de novas indústrias, como fabricantes de eletrodomésticos de linha branca (geladeiras, fogões, e freezers).
Atualemnte, quem vive nessas áreas compra aços planos de preços altos, de fora do país ou do Sul e Sudeste, transportados por rodovias e encarecidos por conta do frete.

A Companhia Siderúrgica Suape (CSS), que deverá receber investimentos de cerca de R$ 1,64 bilhão, iniciará um segmento industrial que hoje não existe no Norte e Nordeste: a siderúrgica de alto valor agregado.


Segundo a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), a CSS bancará R$ 327,8 milhões em recursos próprios e buscará mais R$ 411,2 milhões em outras fontes.


A CSS ficará no megacomplexo industrial e de serviços da Moura Dubeux no entorno de Suape, o Cone S/A. O condomínio de negócios será responsável pelas obras de infraestrutura da fábrica.


Os sócios na siderúrgica são a Trasteel International, multinacional com sede em Luxemburgo, na Europa, que atua nos segmentos de laminação, mineração e vendas internacionais de aço; e a Fábrica Participações, fundo de investimento nacional que tem como sócios ex-executivos de grupos importantes do segmento, como Vale e EBX (companhia de petróleo e energia de Eike Batista).


Há ainda uma parceria tecnológica com a Danieli, empresa italiana com expertise em siderúrgicas que fornecerá equipamentos, montagem e qualificação da mão de obra. E, por fim, participa também a Metal Data, consultoria brasileira do setor.


Quando pronta, a CSS será candidatada a fornecer para diversas cadeias produtivas, como naval, automotiva e eólica, estimulando a vinda de novas indústrias, como fabricantes de eletrodomésticos de linha branca (geladeiras, fogões, e freezers).


Atualemnte, quem vive nessas áreas compra aços planos de preços altos, de fora do país ou do Sul e Sudeste, transportados por rodovias e encarecidos por conta do frete.

 



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação com Agência
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar