acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
GLP

SHV Gás obtém R$ 200 milhões por cinco anos para alongar sua dívida

20/12/2004 | 00h00

 A SHV Gás acaba de obter R$ 200 milhões em um empréstimo sindicalizado - com a participação de vários bancos - no mercado interno pelo prazo de cinco anos. A empresa vai pagar aos bancos os juros do Depósito Interfinanceiro (DI) mais 1,10% ao ano, diz Ernesto Meyer, diretor do BNP Paribas, que liderou a operação.
A SHV Gás vai usar o dinheiro para quitar dívidas de curto prazo e alongar o prazo de seu endividamento, conta Marcelo Gonçalves Costa, gerente financeiro. Segundo explicou ele, em julho último a SHV Gás, a maior distribuidora de gás liquefeito de petróleo (GLP) do mundo, de capital holandês, que já tinha 100% da Minasgás, a quinta maior empresa do setor no país, e 49% da Surpergasbras, a quarta maior do Brasil, comprou os 51% restantes da Supergasbras por US$ 100 milhões. Deste total, US$ 50 milhões vieram de um aporte de capital da matriz e os outros US$ 50 milhões foram tomados no mercado interno, na forma de um empréstimo-ponte que vence em fevereiro próximo.
A SHV Gás optou por alongar a dívida - os R$ 150 milhões aproximadamente do empréstimo-ponte mais R$ 50 milhões de outros inúmeros vencimentos. "Fizemos então um `road show` para 12 bancos no final de agosto e escolhemos cinco para participar do empréstimo, com o BNP na liderança", explicou Costa. Também participaram com R$ 40 milhões cada o Itaú BBA, o Bradesco, o ING e o Santander Banespa.
Em um primeiro momento, os bancos vão manter o empréstimo em seus livros, segundo Meyer. Mas a estrutura da operação permite a venda por meio das Cédulas de Crédito Bancário (CCB). "Os bancos fizeram um fórum de debates inédito e montaram um contrato interessante", afirma.
A SHV Gás tem faturamento de R$ 3 bilhões e geração de caixa operacional de R$ 100 milhões por ano. "Como temos receitas em real, achamos a melhor estratégia tomar dívida em reais", explica Costa. Ele disse que a compra de mais 51% da Supergasbras pela SHV é uma "prova de fé" no futuro do país. "Estamos em um momento bem favorável, que pode melhorar ainda mais se o governo mantiver sua política econômica coerente", afirmou.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar