acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Lei do Petróleo

Seminário lembra os 10 anos da lei que flexibilizou monopólio do petróleo

13/08/2007 | 00h00
Promovido em conjunto pela Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip), pelo Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP) e pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), o seminário “O Sucesso de uma Lei” reunirá os ex-diretores gerais da ANP, David Zylbersztajn e Sebastião do Rego Barros; o atual, Haroldo Lima, e os presidentes da Petrobras, José Sérgio Gabrielli; do IBP, João Carlos França de Lucas, e da Onip, Sebastião do Rego Barros.

Entre os temas em debate estarão a atuação da ANP como agência fiscalizadora em um cenário de flexibilização do monopólio, as participações governamentais (royalties e impostos pagos pelas empresas que atuam no setor de exploração e produção no país) e o fortalecimento da indústria nacional.

A Lei 9.478 foi criada com objetivo de atrair investimentos, ampliar a competitividade e conferir maior participação da União, dos Estados e Municípios na riqueza gerada pelo setor. Alvo de criticas pelos que temiam o enfraquecimento da estatal brasileira (que até então atuava no mercado de forma monopolista), a legislação causou efeito exatamente contrário: fortaleceu e tornou a Petrobras uma das maiores petrolíferas do mundo, deu-lhe condições de expansão e internacionalização, propiciou que a estatal atuasse como empresa integrada de energia, principalmente no Cone Sul e, ainda por cima, levou o país a auto-suficiência na produção de petróleo, diz nota da Petrobras.

Também permitiu, através das rodadas de licitações, a vinda para o país das principais empresas petrolíferas do mundo – que hoje atuam na atividade de exploração e produção de petróleo e gás natural, sozinhas ou em parceria com a própria Petrobras.

O seminário será aberto pelo secretário Estadual de Desenvolvimento, Julio Bueno, e encerrado pelo ministro de Minas e Energia, Nelson Hubner.

Fonte: Da redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar