acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Bacia de Santos

Segundo poço da ANP pode conter mais de 4,5 bilhões de barris de petróleo

02/06/2010 | 18h24
O segundo poço perfurado para a cessão onerosa, dentro do processo de capitalização da Petrobras, na área do pré-sal da Bacia de Santos, "é melhor que o primeiro" em termos de volume. A afirmação foi feita hoje pelo diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Haroldo Lima. Há dois dias atrás, a ANP anunciou um megacampo de 4,5 milhões de barris na região. O diretor participou hoje de evento em comemoração aos dez anos do banco de dados da ANP.


Inicialmente batizado de Franco, o primeiro poço da ANP, fica distante apenas 41 quilômetros do campo de Iara, onde a operadora Petrobras estimou reservas de 3 a 4 bilhões de barris de óleo equivalente (boe). Lima comentou que a ANP espera que a certificação das reservas no prospecto de Franco esteja pronta até o final do mês de outubro.


A diretora da ANP, Magda Chambriard, ressaltou que além de bastante óleo de boa qualidade (30 graus API), Franco abriu uma nova perspectiva para a região por ter atingido colunas de coquina, formação rochosa localizada em região mais profunda do que a maioria das descobertas até o momento no pré-sal, limitadas até então às rochas conhecidas como microbiolitos. Magda estimativou ainda reservas de 50 bilhões de barris de boe para o pré-sal.


A diretora informou que Franco entrará em testes de produção e a certificação está prevista para outubro. As propostas para contratação da certificadora serão abertas no próximo dia 27 e a vencedora será conhecida 10 dias depois.


Já o segundo poço da ANP, batizado de Libra, distante cerca de 30 quilômetros de Franco e cuja perfuração começou na semana passada, levará cinco meses para ter seus dados divulgados. A ANP informou que contratou a Petrobras para as atividades exploratórias. De acordo com Lima, ambos os prospectos não estão conectados a Iara, ou seja, não precisarão passar pelo processo de unitização com o ativo operado por concessão pela Petrobras.


Segundo Magda Chambriard, Libra tem melhores perspectivas que Franco, a segunda maior reserva descoberta do Brasil, atrás apenas de Tupi. "Espero que Libra seja muito grande, a princípio pode ser maior do que Franco. E pode ser um ou dois prospectos, ainda não temos dados suficientes - disse a executiva, destacando que o novo poço pode inclusive se desdobrar em duas jazidas", comenta.


Capitalização da Petrobras


Quanto ao processo de capitalização da Petrobras, que prevê a cessão de 5 bilhões de barris da União para a estatal, o diretor informou que ainda não foi definido o que ocorrerá caso a perfuração do segundo poço conduza a um volume superior a 5 bilhões de barris.


"Se fôssemos realizar licitação naquela área, o bônus de assinatura (quanto o operador efetivamente paga pela área a ser explorada) daquela região pularia para dezenas de bilhões de dólares", disse. Lima disse ainda que a área do pré-sal abrange cerca de 149 mil quilômetros quadrados.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar