acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Niterói Naval Offshore

Segundo dia do evento atrai jovens com palestras sobre formação profissional

09/11/2011 | 10h50
Segundo dia do evento atrai jovens com palestras sobre formação profissional
Segundo dia do evento atrai jovens com palestras sobre formação ... Segundo dia do evento atrai jovens com palestras sobre formação ...
O segundo dia da Niterói Naval Offshore (NNO) foi marcado pela conferência sobre Formação Profissional, que destacou o desafio de formar jovens para a crescente demanda do setor naval.

Abrindo as palestras, o secretário de Ciência e Tecnologia de Niterói e moderador da mesa “Formação profissional para a construção”, José Raymundo Martins Romêo, definiu a questão sobre formação como “uma grande cruzada nacional”. Também participaram da mesa Joacir Pedro, presidente do Fórum dos Trabalhadores da Construção Naval e Offshore; Guilber Dummans, consultor do Prominp, e Miguel Luiz Ferreira, da Universidade Federal Fluminense.

O presidente do Forum dos Trabalhadores falou sobre como uma política governamental de apoio é essencial para o crescimento do setor, dando o exemplo do projeto que possibilitou o início do Programa de Modernização da Frota (Promef), da Petrobras, em parceria com os trabalhadores. Joacir Pedro lembrou, com um breve panorama da história do segmento naval e offshore, sobre a necessidade de se investir no conteúdo local. “Um país com quase 8 mil km de extensão não pode ficar sem frota própria. Para cada emprego direto, temos três ou quatro indiretos gerados. É essencial pensar nisso”, disse.

Guilber Dummas apresentou o Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp) para o fortalecimento da indústria nacional. Ao explicar o funcionamento do programa, o representante da Petrobras falou sobre o objetivo de traçar uma análise entre oferta e demanda para atender o mercado. Segundo Dummas, o Prominp está em seu quinto ciclo, que irá formar cerca de 30 mil profissionais.

O professor da Escola de Engenharia da UFF, Miguel Luiz Ferreira, discutiu a participação da universidade nesse desafio. Ferreira diz que a parceria da UFF com o Prominp é um exemplo dos avanços do país nesse sentido. Os projetos de formação profissional passam por diversos segmentos e engloba, inclusive, um projeto social da universidade para a capacitação.

O segundo painel teve a participação do vice-presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima (Syndarma), Roberto Galli, do gerente executivo de Transporte Marítimo da Transpetro, Eduardo Cunha Bastos, e do Almirante da Marinha, Marco Antônio Guimarães Falcão.

De acordo com Bastos, serão necessários cerca de mil novos oficiais, além de manter atualizadas as atuais tripulações, garantindo que 450 gerentes de bordo sejam qualificados, por conta da chegada de embarcações mais modernas. “A Marinha do Brasil quase triplicou o esforço de formação e conta com o apoio da Academia Marítima da Transpetro. Mas esse é um problema bom”, disse ele. “A Marinha Mercante atravessa um momento mágico, com os novos estaleiros e as frotas aumentadas. O desafio da Transpetro será daqui a pouco operar cerca de cem petroleiros".

Segundo o vice-presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima (Syndarma), Roberto Galli, hoje faltam profissionais no setor, mas o trabalho não para. “Metade dos custos de um navio é com tripulação, para que as atividade não tenham interrupões. Por  isso que é um pouco dramática a expressão ‘apagão de mão de obra’. Não deixamos de operar por ter poucas pessoas. Elas ganham o reforço também de trabalhadores estrangeiros. Mas precisamos de mais gente, até para equilibrar os nossos custos”, explicou. “Hoje, a idade média de um oficial é 56 anos, precisamos da população mais jovem. O segredo é investir no entusiasmo da juventude, que viverá num Brasil mais rico que as outras gerações”.

Maioria na plateia do Teatro Popular, onde ocorrem as conferências da NNO, os jovens cada vez mais procuram a Marinha Mercante como opção profissional. No debate, o almirante Marco Antonio Falcão, do Centro de Instrução Almirante Graça Aranha, disse que, no último concurso, dez mil se inscreveram para disputar cerca de 300 vagas, nas escolas da Marinha no Rio - Ciaga - e em Belém - Ciaba. “A procura é grande, como nos cursos mais disputados nas universidades. Desse contingente, 30% é de meninas matriculadas”, afirmou.

Nesta quarta-feira, "Logística de apoio" e "Oportunidades do pós e do pré-sal" serão os temas dos paineis da Conferência do evento, que acontece no Teatro Popular do Caminho Niemeyer. O NNO segue até quinta (10), em Niterói, com promoção da prefeitura e do Instituto de Tecnologia Aplicada a Energia e Sustentabilidade Socioambiental (Itaesa).
 
No final do dia os participantes poderão participar ainda do encontro social pós evento que será realizado no Maison Cascade, em Charitas (Niterói) de 21h às 1h. O valor do convite é de R$100,00. Informações para pagamento e depósito: (21) 7815 2942 ou (21) 7854 5269 e contato@mbsproducoes.com  


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar