acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Política

SCGÁS vai a Brasília buscar solução para escassez de GN no estado

20/05/2013 | 17h01

 

O Presidente da SCGÁS, Cósme Polêse, e o coordenador de Relações Institucionais da companhia, Samuel Bortoluzzi Schmitz, se reunirão na terça-feira (21), em Brasília, com a diretora de Gás Natural do Ministério de Minas e Energia (MME), Symone Araújo, com o objetivo de apresentar ao ministério o atual cenário de oferta e demanda de suprimento de gás natural em Santa Catarina e buscar conhecer as soluções que estarão contempladas no Plano de Expansão de Malhas e Estudo de Expansão (PEMAT), o Planejamento decenal do ministério para o setor. O plano será divulgado ainda neste semestre pela Diretoria de Gás Natural do MME.
De acordo com o estudo do Grupo de Economia e Energia, vinculado ao Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a demanda de gás para os três estados do Sul é de 10 milhões de metros cúbicos diários a mais do que é ofertado hoje. Santa Catarina, que hoje trabalha com uma oferta máxima de 2MMm³/d, já está recusando contratos devido a falta de gás. Em 2030, a demanda diária na região saltará para 34 milhões de metros cúbicos, o que implica na necessidade urgente de viabilizar outra fonte de insumo de gás natural além do gás importado da Bolívia - única fonte do suprimento dos estados do Sul.
A expectativa da SCGÁS é que o PEMAT traga investimentos que possam diversificar a oferta de gás para o estado. As principais alternativas defendidas pelo estudo são a construção de um terminal de GNL (Gás Natural Liquefeito) no Porto de São Francisco do Sul, que pudesse inserir na rede de distribuição o gás do mercado internacional, e o desenvolvimento de uma alternativa de transporte ao continente do gás produzido nos campos operados pela Petrobras.
Também participará da reunião o Secretário de Articulação Nacional do Governo de Santa Catarina João Batista Matos.

O Presidente da SCGÁS, Cósme Polêse, e o coordenador de Relações Institucionais da companhia, Samuel Bortoluzzi Schmitz, se reunirão na terça-feira (21), em Brasília, com a diretora de Gás Natural do Ministério de Minas e Energia (MME), Symone Araújo, com o objetivo de apresentar ao ministério o atual cenário de oferta e demanda de suprimento de gás natural em Santa Catarina e buscar conhecer as soluções que estarão contempladas no Plano de Expansão de Malhas e Estudo de Expansão (PEMAT), o Planejamento decenal do ministério para o setor. O plano será divulgado ainda neste semestre pela Diretoria de Gás Natural do MME.


De acordo com o estudo do Grupo de Economia e Energia, vinculado ao Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a demanda de gás para os três estados do Sul é de 10 milhões de metros cúbicos diários a mais do que é ofertado hoje. Santa Catarina, que hoje trabalha com uma oferta máxima de 2MMm³/d, já está recusando contratos devido a falta de gás. Em 2030, a demanda diária na região saltará para 34 milhões de metros cúbicos, o que implica na necessidade urgente de viabilizar outra fonte de insumo de gás natural além do gás importado da Bolívia - única fonte do suprimento dos estados do Sul.


A expectativa da SCGÁS é que o PEMAT traga investimentos que possam diversificar a oferta de gás para o estado. As principais alternativas defendidas pelo estudo são a construção de um terminal de GNL (Gás Natural Liquefeito) no Porto de São Francisco do Sul, que pudesse inserir na rede de distribuição o gás do mercado internacional, e o desenvolvimento de uma alternativa de transporte ao continente do gás produzido nos campos operados pela Petrobras.


Também participará da reunião o Secretário de Articulação Nacional do Governo de Santa Catarina João Batista Matos.



Fonte: Ascom SCGás
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar