acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Etanol

Santa Terezinha pode retomar usina em MS

07/10/2011 | 10h43
O grupo paranaense Santa Terezinha, que faturou R$ 1,49 bilhão em 2010, estuda retomar a construção da usina Paraná, localizada no município de Eldorado (MS). A unidade, projetada para produzir apenas etanol, está com 70% das obras industriais concluídas e com parte dos canaviais implantados. O grupo calcula que serão necessários investimentos na indústria de cerca de R$ 100 milhões, além dos aportes na área agrícola.

O "greenfield" Paraná foi adquirido em 2009 junto com a usina Usaciga, localizada no Paraná. Ambas pertenciam à Agrocana Participações Ltda.

Na época, a usina sul-mato-grossense foi colocada à venda, pois estava fora da estratégia da Santa Terezinha que tem logística consolidada para operar no Paraná. No entanto, a empresa não encontrou um comprador que oferecesse um "valor justo" pelo ativo, conta Paulo Meneguetti, diretor da Santa Terezinha. "Por isso, estamos revendo a possibilidade de concluir o projeto", completa.

A decisão será tomada no primeiro bimestre de 2012, segundo ele. A unidade foi projetada para moer inicialmente 2,5 milhões de toneladas de cana, mas por enquanto, só tem 500 mil toneladas da matéria-prima disponíveis no campo. A expectativa do grupo é de que seja possível preencher essa capacidade a partir de 2014/15.

Neste momento, a Santa Terezinha toca o projeto de elevar a oferta de cana nas suas oito usinas já em operação, todas no Paraná. Em torno de R$ 200 milhões estão sendo aplicados neste ano para renovar 44 mil hectares e expandir outros 13 mil hectares. Esses aportes devem ajudar a empresa a alcançar moagem de 19 milhões de toneladas daqui a três anos.

As duas geadas deste segundo semestre contribuíram para que a moagem desta temporada nas oito usinas caísse para 15,1 milhões de toneladas, queda de 8% em relação às 16,5 milhões de toneladas previstas inicialmente. A produção de açúcar da companhia deve alcançar 1,4 milhão de toneladas, 100% para exportação. A fabricação de etanol deve variar entre 370 milhões e 380 milhões de litros.

O investimento no canavial vai ajudar a empresa a elevar a moagem para 16,5 milhões de toneladas no ciclo que vem, o 2012/13. A produção de açúcar deve alcançar no próximo ano 1,5 milhão de toneladas e a de etanol, de 450 milhões de litros, prevê Meneguetti.

Todo recurso investido no campo, diz o executivo, vem de capital próprio da empresa. "Ouvimos há meses que o governo lançará programa de renovação de canaviais, mas nada acontece", lamenta.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar