acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Inovação

RJ terá Sistema Estadual de Parques Tecnológicos

28/02/2013 | 11h26

 

O secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Gustavo Tutuca, anunciou, na terça-feira (26), em encontro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), a criação do Sistema Fluminense de Parques Tecnológicos. O anúncio foi feito durante reunião da Câmara Setorial de Tecnologia do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado.
“Muitas iniciativas estão surgindo para a criação de parques tecnológicos. Vamos fazer um sistema que organize essas iniciativas, trazendo os atores para discutir e debater as dificuldades encontradas”, explicou o secretário, que também destacou os principais polos inovadores do estado. “No Fundão, temos bem identificada a vocação para as pesquisas sobre óleo e gás; no Sul fluminense, temos a integração forte entre a produção de metais e a indústria mecânica; e, na Serra, a vocação é para Tecnologia da Informação”.
O superintendente de Competitividade da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Sérgio Teixeira, participou do encontro e apresentou o diagnóstico realizado por um estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) a respeito do sistema de inovação fluminense. Teixeira apontou as deficiências do sistema e fez sugestões para uma melhoria. Limitações em relação aos ambientes de inovação, dificuldades dos setores emergentes da economia e a falta de interação entre os setores produtivos foram os principais problemas levantados na reunião. “Temos um tempo curto. Acredito que devemos priorizar as ações a serem tomadas de imediato e, em segundo lugar, nos concentrarmos em projetos. O leque nessa área de inovações é muito grande, precisamos ter foco”, enfatizou.
O superintendente lembrou que o estudo apresentado é apenas uma referência e que devem ser agregados outros pontos de discussão. A secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha, reforçou que a missão da entidade é contribuir com a Secretaria de Ciência e Tecnologia, que assumiu o compromisso de liderar as iniciativas de inovação tecnológica no estado.
“A secretaria deixou aqui, clara e publicamente, a vontade ser o líder desse processo de levar em frente todo o sistema e aprofundar as relações entre as entidades que fazem inovação no Rio”, comentou. Estiveram presentes representantes da Firjan, do Instituto Vital Brasil, do Instituto de Economia e Parque Tecnológico da UFRJ, do Clube de Engenharia, da PUC-Rio e da Uenf, que apresentaram sugestões de políticas públicas e ações.

O secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Gustavo Tutuca, anunciou, na terça-feira (26), em encontro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), a criação do Sistema Fluminense de Parques Tecnológicos. O anúncio foi feito durante reunião da Câmara Setorial de Tecnologia do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado.


“Muitas iniciativas estão surgindo para a criação de parques tecnológicos. Vamos fazer um sistema que organize essas iniciativas, trazendo os atores para discutir e debater as dificuldades encontradas”, explicou o secretário, que também destacou os principais polos inovadores do estado. “No Fundão, temos bem identificada a vocação para as pesquisas sobre óleo e gás; no Sul fluminense, temos a integração forte entre a produção de metais e a indústria mecânica; e, na Serra, a vocação é para Tecnologia da Informação”.


O superintendente de Competitividade da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Sérgio Teixeira, participou do encontro e apresentou o diagnóstico realizado por um estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) a respeito do sistema de inovação fluminense. Teixeira apontou as deficiências do sistema e fez sugestões para uma melhoria. Limitações em relação aos ambientes de inovação, dificuldades dos setores emergentes da economia e a falta de interação entre os setores produtivos foram os principais problemas levantados na reunião. “Temos um tempo curto. Acredito que devemos priorizar as ações a serem tomadas de imediato e, em segundo lugar, nos concentrarmos em projetos. O leque nessa área de inovações é muito grande, precisamos ter foco”, enfatizou.


O superintendente lembrou que o estudo apresentado é apenas uma referência e que devem ser agregados outros pontos de discussão. A secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha, reforçou que a missão da entidade é contribuir com a Secretaria de Ciência e Tecnologia, que assumiu o compromisso de liderar as iniciativas de inovação tecnológica no estado.


“A secretaria deixou aqui, clara e publicamente, a vontade ser o líder desse processo de levar em frente todo o sistema e aprofundar as relações entre as entidades que fazem inovação no Rio”, comentou. Estiveram presentes representantes da Firjan, do Instituto Vital Brasil, do Instituto de Economia e Parque Tecnológico da UFRJ, do Clube de Engenharia, da PUC-Rio e da Uenf, que apresentaram sugestões de políticas públicas e ações.

 



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar