acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Rio Tinto melhora oferta por Riversdale

25/01/2011 | 09h47
A Rio Tinto melhorou as chances do êxito de sua oferta de quase US$ 4 bilhões para a compra de uma companhia no setor carbonífero australiano, depois que indiana Tata Steel, maior acionista da empresa-alvo, sinalizou concordar com o negócio. A negociada aquisição da Riversdale Mining - que está explorando depósitos de carvão em Moçambique -, pela Rio Tinto por US$ 3,8 bilhões ainda poderá enfrentar obstáculos na forma de oposição por parte de um consórcio de cinco mineradoras e grupos siderúrgicos indianos.
 

A Tata, uma das maiores produtoras de aço no mundo, era considerada a mais provável rival na disputa. A companhia controla 24% das ações da Riversdale. N. K. Misra, nomeado pela Tata para o conselho Riversdale, recomendou a oferta da Rio Tinto - "16 dólares australianos em dinheiro por ação, na ausência de uma proposta superior". Misra advertiu ter oferecido apenas na condição de membro do conselho da Riversdale e não como representante da Tata. Ele é o diretor de fusões e aquisições do grupo Tata, o que diminui a probabilidade de uma contraproposta de surpresa da Tata.
 
 
A Rio Tinto apresentou sua proposta em 23 de dezembro, dizendo que partes representantes de 14,9% das ações da Riversdale tinham concordado com o lance de 16 dólares canadenses por ação. Isso inclui seu chairman, executivo-chefe e diretor financeiro da Riversdale.
 

Por ocasião votação no conselho em dezembro, Misra absteve-se de votar. Mas ontem a recomendação da administração tornou-se unânime. A oferta da Rio Tinto, comandada por Tom Albanese, expira em 18 de fevereiro, embora possa ser prorrogada, caso surja uma proposta concorrente.
 

Um consórcio denominado International Coal Ventures é agora o contra-ofertante mais óbvio. Ele compreende a Steel Authority of India e a Coal India, uma entidade semi-estatal que estreou recentemente na Bolsa de Mumbai. O consórcio adiou qualquer anúncio sobre suas intenções para, no mínimo, 27 de janeiro, concedendo-se mais tempo para estudar as opções apresentadas pelo Citigroup, seu assessor.
 

A Índia, como a China, quer assegurar minério de ferro e carvão coque para suas siderúrgicas e carvão térmico para suas usinas de eletricidade. A província carbonífera de Moatize, em Moçambique - que compreende as minas Riversdale -, está localizada nas proximidades das rotas marítimas para a Índia no Oceano Índico.
 

Ontem, as ações da Riversdale fecharam a 16,50 dólares australianos, com alta de 1%.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar