acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

RGE firma parceria para distribuição logística

18/01/2013 | 17h53

 

A Rio Grande Energia (RGE), empresa do grupo CPFL Energia, que atende a 262 municípios no norte, nordeste, noroeste do Rio Grande do Sul e Região Metropolitana de Porto Alegre, firmou uma parceria com a DHL Supply Chain, líder global no setor de logística, para atuar nas operações logísticas da distribuidora de energia elétrica. As atividades estão centralizadas em uma planta de 6.500 m², no bairro Desvio Rizzo, em Caxias do Sul, onde também fica a sede da RGE.
De acordo com o diretor-presidente da RGE, Luís Henrique Ferreira Pinto, a operação permitirá ampliar o atendimento à demanda gerada pelo crescimento de seus clientes, que chegaram ao total de 1,35 milhão em 2012, superior em 3% ao total de 2011. “Esse aumento reflete diretamente em uma maior demanda por energia, também ocasionada pelo desenvolvimento econômico das macrorregiões do estado”, explica.
Segundo Nelson Filippe, diretor de operações da DHL Supply Chain, a parceria também provê à RGE uma padronização no escopo de fornecedores, já que a DHL é o mesmo provedor de serviços de logística de todas as oito distribuidoras do grupo CPFL, trazendo eficiência operacional e ganhos de escala. “Já são dez anos de parceria e isso significa que chegamos à maturidade do nosso relacionamento. Crescer para atender à demanda do parceiro, na nossa visão, é obrigatório”, ressalta.
Com a nova unidade em Caxias do Sul, a capacidade de armazenagem será ampliada em 20%. O investimento irá atender ao crescimento de volumes de materiais utilizados para a manutenção e ampliação da rede elétrica atendida pela RGE, responsável pelo atendimento de 51% dos municípios do Rio Grande do Sul. “A CPFL compra todo o material necessário e ele é entregue nos centros de distribuição da DHL. Esse material fica armazenado e quando há uma solicitação, fazemos a separação e a entrega até o ponto em que foi solicitado”, explica o executivo.
A iniciativa está também alinhada com a política da CPFL Energia, de valorizar a economia local. “Tivemos iniciativas anteriores como a própria transferência de sede da RGE para Caxias do Sul, maior cidade localizada na área de concessão da empresa, ou a instalação de uma unidade de fabricação de postes de concreto, a Matra, em Passo Fundo, e à chegada da empresa Toledo, responsável pela logística reversa da concessionária”, salienta Luis Henrique Ferreira Pinto.
A nova parceria, na prática, encurtou as distâncias dentro da área de concessão da RGE, com o centro de distribuição mais próximo às Estações Avançadas em municípios do norte e noroeste do estado como Passo Fundo, Erechim, Santo Angelo, Cruz Alta, e também na Região Metropolitana de Porto Alegre.
Como funciona
O Centro de Distribuição Logística recebe, assiduamente, suprimentos diversos de 120 fornecedores diferentes. No espaço é armazenado todo tipo de material concernente à operação cotidiana da concessionária, tais como: transformadores, medidores de energia, cabos e fios elétricos, eletroferragens, além de uniformes, equipamentos de segurança e todo o ferramental utilizado pelos eletricistas da RGE. A entrega desses materiais é centralizada para permitir um controle total do fluxo dos itens fornecidos, e no local é também feito o controle de qualidade dos produtos, em busca de defeitos de fabricação e funcionamento, antes da expedição.
Em seguida, a DHL faz a distribuição deste material em 63 depósitos de entrega da RGE na área de concessão, incluindo 18 Estações Avançadas (EA’s) primárias, que contam com um responsável logístico, as EA’s secundárias e empresas terceirizadas. Os itens entregues são utilizados em trabalhos de expansão e crescimento da rede (investimentos e melhorias), manutenção e reconstrução da rede elétrica, ligação e regularização de clientes, entre outros.
Cada um dos depósitos tem uma frequência de entrega semanal. Em caso de contingência (temporais e acidentes), é feita a priorização imediata da região a ser coberta, com um plano especial de entregas exclusivas.
“Esse é um mecanismo de reação rápida que otimiza as ações da concessionária em ocorrências devido ao clima severo, onde tanto as equipes de eletricistas quanto o contingente logístico ficam de sobreaviso, segundo a meteorologia”, explica.

A Rio Grande Energia (RGE), empresa do grupo CPFL Energia, que atende a 262 municípios no norte, nordeste, noroeste do Rio Grande do Sul e Região Metropolitana de Porto Alegre, firmou uma parceria com a DHL Supply Chain, líder global no setor de logística, para atuar nas operações logísticas da distribuidora de energia elétrica. As atividades estão centralizadas em uma planta de 6.500 m², no bairro Desvio Rizzo, em Caxias do Sul, onde também fica a sede da RGE.


De acordo com o diretor-presidente da RGE, Luís Henrique Ferreira Pinto, a operação permitirá ampliar o atendimento à demanda gerada pelo crescimento de seus clientes, que chegaram ao total de 1,35 milhão em 2012, superior em 3% ao total de 2011. “Esse aumento reflete diretamente em uma maior demanda por energia, também ocasionada pelo desenvolvimento econômico das macrorregiões do estado”, explica.


Segundo Nelson Filippe, diretor de operações da DHL Supply Chain, a parceria também provê à RGE uma padronização no escopo de fornecedores, já que a DHL é o mesmo provedor de serviços de logística de todas as oito distribuidoras do grupo CPFL, trazendo eficiência operacional e ganhos de escala. “Já são dez anos de parceria e isso significa que chegamos à maturidade do nosso relacionamento. Crescer para atender à demanda do parceiro, na nossa visão, é obrigatório”, ressalta.


Com a nova unidade em Caxias do Sul, a capacidade de armazenagem será ampliada em 20%. O investimento irá atender ao crescimento de volumes de materiais utilizados para a manutenção e ampliação da rede elétrica atendida pela RGE, responsável pelo atendimento de 51% dos municípios do Rio Grande do Sul. “A CPFL compra todo o material necessário e ele é entregue nos centros de distribuição da DHL. Esse material fica armazenado e quando há uma solicitação, fazemos a separação e a entrega até o ponto em que foi solicitado”, explica o executivo.


A iniciativa está também alinhada com a política da CPFL Energia, de valorizar a economia local. “Tivemos iniciativas anteriores como a própria transferência de sede da RGE para Caxias do Sul, maior cidade localizada na área de concessão da empresa, ou a instalação de uma unidade de fabricação de postes de concreto, a Matra, em Passo Fundo, e à chegada da empresa Toledo, responsável pela logística reversa da concessionária”, salienta Luis Henrique Ferreira Pinto.


A nova parceria, na prática, encurtou as distâncias dentro da área de concessão da RGE, com o centro de distribuição mais próximo às Estações Avançadas em municípios do norte e noroeste do estado como Passo Fundo, Erechim, Santo Angelo, Cruz Alta, e também na Região Metropolitana de Porto Alegre.



Como funciona


O Centro de Distribuição Logística recebe, assiduamente, suprimentos diversos de 120 fornecedores diferentes. No espaço é armazenado todo tipo de material concernente à operação cotidiana da concessionária, tais como: transformadores, medidores de energia, cabos e fios elétricos, eletroferragens, além de uniformes, equipamentos de segurança e todo o ferramental utilizado pelos eletricistas da RGE. A entrega desses materiais é centralizada para permitir um controle total do fluxo dos itens fornecidos, e no local é também feito o controle de qualidade dos produtos, em busca de defeitos de fabricação e funcionamento, antes da expedição.


Em seguida, a DHL faz a distribuição deste material em 63 depósitos de entrega da RGE na área de concessão, incluindo 18 Estações Avançadas (EA’s) primárias, que contam com um responsável logístico, as EA’s secundárias e empresas terceirizadas. Os itens entregues são utilizados em trabalhos de expansão e crescimento da rede (investimentos e melhorias), manutenção e reconstrução da rede elétrica, ligação e regularização de clientes, entre outros.


Cada um dos depósitos tem uma frequência de entrega semanal. Em caso de contingência (temporais e acidentes), é feita a priorização imediata da região a ser coberta, com um plano especial de entregas exclusivas.


“Esse é um mecanismo de reação rápida que otimiza as ações da concessionária em ocorrências devido ao clima severo, onde tanto as equipes de eletricistas quanto o contingente logístico ficam de sobreaviso, segundo a meteorologia”, explica.

 



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar