acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
E&P

Repsol amplia aposta em petróleo

26/04/2006 | 00h00

A espanhola Repsol, que com a entrada em operação da plataforma P-50 começou a produzir petróleo no Brasil, vai investir neste ano no país US$ 245 milhões, dos quais US$ 160 milhões destinados à exploração e produção de petróleo. Desse total, US$ 57 milhões irão para a parte final do desenvolvimento de Albacora Leste, coroando a entrada da empresa no ainda restrito grupo de produtores de óleo em território brasileiro.

A P-50 começou a produzir na semana passada no campo de Albacora Leste (Bacia de Campos). Quando alcançar a capacidade plena de 180 mil barris por dia, prevista para o segundo semestre deste ano, a Repsol será a terceira maior produtora de óleo do Brasil, perdendo para a Petrobras e Shell, que já produz 40 mil barris/dia nos campos de Bijupirá-Salema. A Repsol é dona de 10% da produção de Albacora Leste, ou seja, de 18 mil barris por dia na vazão máxima.

O presidente da Repsol no Brasil, João Carlos França de Luca, destaca que 2006 é um ano muito importante para a companhia, não apenas pelo início da exploração e produção de petróleo, oito anos depois de sua chegada, em 1998.

"2006 é o ano da maturação de dois investimentos importantes da companhia. Estamos concluindo o desenvolvimento da produção de Albacora Leste e o programa de modernização e ampliação da capacidade de refino da Refap", afirma o executivo, referindo-se à refinaria Alberto Pasqualini, no Rio Grande do Sul.

Com a produção de Albacora Leste, a espanhola passa também a ser a única empresa privada no Brasil com operação integrada, participando das atividades de exploração e produção de petróleo, refino e comercialização de combustíveis. Isso porque além dos 30% na Refap, ela tem 30% da refinaria de Manguinhos (que está parada) e 320 postos com sua marca em oito estados brasileiros.

A Repsol começou a atuar no Brasil em novembro de 1997, já tendo investido no país US$ 566 milhões entre 1998 e 2005. Desses, US$ 267 milhões foram gastos em 2005 com forte empurrão provocado pelas obras da Refap, que vai aumentar a capacidade de processamento de 120 mil barris/dia para 180 mil barris.

O desenvolvimento do campo de Albacora Leste vai custar no total US$ 1,98 bilhão, e desses, a Repsol já investiu quase US$ 150 milhões. Como tem 10%, a participação da espanhola no investimento total é de US$ 198 milhões.

Para 2007 e 2008 a Repsol prevê aplicações anuais de US$ 80 milhões "Este ano, além do que falta para completar Albacora Leste, vamos aplicar em outros projetos de exploração e produção, entre os quais a perfuração de três poços nas bacias de Campos e de Santos, onde temos parceria com a Petrobras, com a BG e a Chevron", diz o executivo.

Com a aquisição de 16 blocos para exploração na 7ª Rodada de Licitações da Agência Nacional do Petróleo (ANP) - que custaram US$ 250 milhões entre bônus e programa de investimentos em sísmica e perfuração de poços - a Repsol aumentou para 25 o número de blocos em que tem participação. Com isso, se tornou a empresa com maior atividade exploratória no país, apesar de outras estarem na frente em produção, como a própria Shell, que vai produzir petróleo em quatro campos encontrados no antigo bloco BC-10.

Somente em Albacora Leste a Repsol já produz. Também tem exclusividade na distribuição de lubrificantes para a Volkswagen e Scania, além de ser proprietária de campos de gás na Bolívia de onde exporta gás natural para as termoelétricas AES Uruguaiana e para a térmica de Cuiabá.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar