acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Refinaria

Repar receberá o maior investimento destinado pela Petrobras a refinarias

12/08/2005 | 00h00

Nesta quinta-feira (11/08), a Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária/PR, a 25 quilômetros de Curitiba, anunciou o processo de modernização e ampliação previstos para os próximos cinco anos. O gerente geral, João Adolfo Oderich, apresentou, em entrevista coletiva, os dados do projeto que receberá o maior investimento da Petrobrás destinado a uma refinaria. Serão US$ 1,39 bilhões, a maior parte desse valor, cerca de 50% de acordo com o gerente, destinada a melhorias ambientais.
A  refinaria opera desde 1997 e hoje é responsável por 12% da produção nacional de derivados de petróleo.  Atende integralmente o mercado paranaense e algumas regiões como Santa Catarina, sul de São Paulo e Mato Groso do Sul.
A Repar recebeu a maior parcela dos investimentos, na soma de US$ 12 bilhões que a Petrobras deve empregar até 2010. Eles são parte de um programa para manter a empresa competitiva no mercado internacional e adequar-se ambientalmente às exigências legais. A capacidade de produção diária da Repar terá um aumento de 10%, chegando a 35 milhões de litros de petróleo. Quase metade desse investimento será aplicado em um complexo que que vai converter óleo combustível em diesel, gás combustível, gás de cozinha (GLP), gasolina, coque e gasóleo.
Estima-se que até o final do ano o primeiro empreendimento entre em funcionamento. Problemas na licitação, que ultrapassaram o orçamento previsto, acarretaram um pequeno atraso, mas Oderich acredita que o cronograma estabelecido não sofra grandes alterações. Segundo ele, este foi o único motivo - as licenças, inclusive a ambiental, já estavam regulares.
A Repar divulgou também os resultados dos estudos de impacto ambiental realizados na área. De acordo com o relatório elaborado pela Natrontec Estudos e Engenharia de Processos Ltda e apresentado pelo consultor Francisco Lange, o balanço é favorável para a realização das obras. Ele diz que os empreendimentos não comprometem áreas sensíveis e Unidades de Conservação. A concentração de enxofre do óleo diesel sofrerá redução de 2000 ppm (partes por milhão)  para 50 ppm, representando uma significativa melhoria na qualidade do ar na Região Metropolitana de Curitiba. Com a obra, a empresa afirma estar se antecipando ao cumprimento da legislação ambiental do país, no âmbito do PROCONVE - Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores.
Entre os impactos ambientais negativos que o projeto pode trazer, Francisco citou o corte de vegetação em área destinada à rodovia que será diretamente ligada à refinaria, gerando ainda aumento do tráfego no local; erosão, assoreamento e possível aumento da carga  de poluentes no Rio Barigüi.
Francisco destacou também que os investimentos serão importantes na área de segurança. Para isso, a refinaria fará um mapeamento das residências vizinhas, levantando sua vulnerabilidade. A comunidade está participando dos processos. Segundo dados da Repar, 42 reuniões já foram realizadas, envolvendo mais de 1800 pessoas, entre conselhos consultivos, associações, ONGs etc. No próximo dia 26, está marcada uma audiência pública, para apresentação do projeto.
A Repar deve ampliar alguns programas já existentes, como o plano de atendimento aos padrões de emissão; monitoramento das emissões atmosféricas; gerenciamento de efluentes e resíduos na fase de operação; monitoramento ambiental na fase de operação (efluentes e recursos hídricos); programas de educação ambiental e comunicação social; gerenciamento de riscos operacionais e inserção social. Três novos programas deverão também ser implantados como plano ambiental de construção - PAC -; programa de monitoramento e controle de erosão e de recuperação de áreas degradadas e programa de compensação, destinando recursos a unidades de conservação na região – de acordo com a Lei 9985/00.
Os Estudos e Relatório de Impactos Ambientais - EIA/RIMA - da Repar estão disponíveis para consultas em Curitiba no Instituto Ambiental do Paraná - IAP -, Ibama, Promotoria do Meio Ambiente do Ministério Público, Mineropar, Suderhsa, Simepar, Comec; e na Prefeitura Municipal, Câmara de Vereadores e Biblioteca Pública e Municipal Emiliano Perneta, de Araucária.



Fonte: Ambiente Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar