acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energias renováveis

Renovabio deve trazer maior previsibilidade e mais investimentos privados, destaca Plínio Nastari da Datagro

07/06/2017 | 10h51
Renovabio deve trazer maior previsibilidade e mais investimentos privados, destaca Plínio Nastari da Datagro
Divulgação Divulgação

O economista Plínio Nastari, presidente da Consultoria Datagro, representante da sociedade civil no Conselho Nacional de Políticas Energéticas (CNPE) voltou a defender que o Programa Renovabio, atualmente em discussão no Ministério de Minas e Energia e no governo federal como um todo, é uma das maiores alternativas para que o setor bioenergético tenha maior previsibilidade sobre o futuro dos biocombustíveis, atraindo, com isso, investimentos privados, tão necessários para a sustentabilidade do setor.

Em entrevista exclusiva à Agência UDOP de Notícias, Plínio Nastari destacou que o Renovabio é uma política de Estado, que visa o estabelecimento de um novo conceito que reafirmará o posicionamento brasileiro na área de energias renováveis.

"O Renovabio estrutura-se em dois pilares principais: a indução de ganhos de eficiência energética na produção e no uso de biocombustíveis em motores, e o reconhecimento da capacidade de cada biocombustível contribuir para as metas de descarbonização de nossa matriz energética", destacou Nastari, que na próxima quinta-feira (8) participa, em Brasília, de reunião plenária do CNPE que deve definir os próximos passos para a implementação do programa.

Na visão do economista, os Biocombustiveis não se contrapõem aos combustíveis tradicionais derivados de petróleo e gás natural. "A sociedade precisa compreender que com o Renovabio pretende-se criar uma referência que sirva como farol para o estabelecimento de um mercado para os biocombustíveis, o que não foi feito até hoje. Essa demanda é muito importante, pois sem ela não há previsibilidade, e sem previsibilidade os investimentos privados, tão necessários, não se materializam", destaca Nastari.

Para Plínio Nastari o setor como um todo tem se unido na defesa da aprovação do Renovabio. "Precisamos agora que outros segmentos da sociedade também reconheçam que o programa deve gerar condições regulatórias estáveis que darão sustentação a toda uma cadeia de produção e comercialização, e a um futuro mais limpo", finaliza.

Semana do Meio Ambiente

Abrindo as comemorações da 19ª Semana do Meio Ambiente promovida pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), por meio de seus Conselho Superior de Meio Ambiente (COSEMA), Conselho Superior do Agronegócio (Cosag) e Conselho Superior de Infraestrutura (Coinfra), foi realizada na última segunda-feira (5), na sede da entidade uma reunião tendo como tema central exatamente o Programa Renovabio.

Com auditório lotado, o público ouviu atentamente à explanação do secretário de Petróleo, Gás e Biocombustiveis do Ministério de Minas e Energia (MME), Márcio Felix, e a didática apresentação do economista Plínio Nastari, que engrandeceram o evento.



Fonte: Redação/Assessoria UDOP
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar