acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Lançamento Editorial

Reforma institucional do setor elétrico brasileiro é detalhada em livro

31/05/2011 | 13h00
A Editora Synergia lança neste mês de junho um livro sobre os aspectos técnicos, econômicos e jurídicos do setor elétrico brasileiro. A publicação, do presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício tolmasquim, explicita as diretrizes que nortearam o desenvolvimento do chamado novo modelo, com ênfase na abordagem da segurança do abastecimento e da modicidade tarifária.


A análise traçada ao longo das 300 páginas da publicação compreendeu três partes: o diagnóstico, que sintetiza os antecedentes e as diretrizes para a construção do modelo; o desenvolvimento, trazendo um histórico sintético das diversas etapas de trabalho; e o desempenho, com resultados da implementação das medidas. Nesta última etapa, o texto destaca em especial a questão envolvendo a contratação de energia como instrumento para a expansão do sistema e para a modicidade tarifária.


“O marco regulatório concebido combina planejamento com competição e investimento estatal com investimento privado, tudo isso de forma inédita no mundo. A ponto de uma importante consultora internacional tê-lo batizado de ‘Brazilian Hybrid Model’, ou ‘Modelo Híbrido Brasileiro’”, explica Tolmasquim. Desde 2005 ele está à frente da EPE, órgão público criado no âmbito do Novo Modelo com a missão de elaborar os estudos de planejamento energético do Governo Federal – estudos esses que dão sustentação aos princípios do próprio marco regulatório.


Voltado não só àqueles que militam na indústria de energia elétrica, mas também e principalmente a todos que desejam obter uma visão detalhada da intrincada cadeia de agentes e interesses que fazem do setor elétrico brasileiro tão complexo quanto fascinante, o livro Novo Modelo do Setor Elétrico Brasileiro pode contribuir para a melhor percepção dos riscos, com reflexos positivos sobre o custo de expansão do sistema.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar