acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Investimentos

Refino da Petrobras crescerá 45% até 2015

28/07/2006 | 00h00

A área de refino da Petrobras programa um salto de investimentos até meados da próxima década, quando serão agregados 850 mil barris à capacidade instalada de refino no Brasil em 2014, quase metade do atual parque de refino. Atualmente, as 11 refinarias da estatal têm capacidade de processar 1,9 milhão de barris dia no Brasil, volume que aumenta para 2,2 milhões de barris se somada a produção das unidades no exterior. São duas refinarias na Argentina, duas na Bolívia e 50% da Pasadena Refining, nos Estados Unidos.

O montante de recursos que serão aplicados ainda não foi totalmente dimensionado pela estatal, que já decidiu construir a terceira unidade no Brasil. Será uma refinaria com capacidade de processar 500 mil barris de petróleo diariamente para produção de derivados de alta qualidade como gasolina, diesel, querosene de aviação e GLP. Essa unidade, que ainda não tem local definido para instalação, entrará em operação após a conclusão das obras da refinaria de Pernambuco (de 200 mil barris) e da Unidade Petroquímica Básica (UPB) no Rio de Janeiro, com capacidade para 150 mil barris/dia.

A previsão da Petrobras é de começar a obra da nova refinaria em 2010 ou 2011, mas a refinaria de produtos "premium" ainda não tem previsão de investimento. Segundo ele, não é possível fazer estimativas de valor tomando como base a unidade de Pernambuco (que vai custar cerca de U$ 2,5 bilhões) porque ao aumentar a capacidade de produção de uma refinaria há uma economia de escala que precisa ser considerada.

Além dessas novas unidades a companhia também procura uma refinaria para comprar na Europa, Ásia ou mesmo nos Estados Unidos, onde já está programada a duplicação da capacidade de Pasadena de 100 mil para 200 mil barris/dia.

O diretor da área de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, explicou que os investimentos em refino serão necessários porque a estatal estará produzindo 4,556 milhões de barris de petróleo por dia em 2015, produção que se manterá superior à capacidade de refino mesmo após a construção das três novas unidades. A estatal prevê chegar a 2011 produzindo 3,493 milhões de barris de óleo equivalente por dia (que inclui petróleo e gás), sendo 2,374 milhões de barris no Brasil. Em 2015, a produção deve chegar a 4,55 milhões, dos quais 2,812 milhões de barris/dia no país.

O projeto da nova unidade foi aprovado no novo Plano Estratégico 2007-2011, divulgado no mês passado, e agora a Petrobras vai começar a análise conceitual e o projeto básico. Segundo o diretor, a decisão de aumentar o investimento em refino devido às projeções de aumento do consumo de derivados e da demanda por combustíveis com baixo teor de enxofre no mercado externo; e do aumento da produção de petróleo tanto no Brasil como no exterior.

"Com o aumento da produção interna vamos processar no Brasil o máximo de petróleo brasileiro que pudermos. Nossa intenção é vender para o Brasil e exportador o excedente", explicou o executivo.

No próximo mês a Petrobras fará um evento em Pernambuco para apresentar o atual estágio da refinaria que será construída no Estado. Também será assinado o contrato para inícios dos estudos de impacto ambiental.

O preço do petróleo fechou em alta pela segunda sessão consecutiva, após o presidente-executivo da Shell dizer que a empresa não espera para este ano uma recuperação significativa na produção da Nigéria, atualmente interrompida. Em Nova York, os contratos para entrega em setembro finalizaram o pregão com ganho de 60 centavos de dólar, a US$ 74,54 por barril. Em Londres, o petróleo tipo Brent também com vencimento em setembro subiu US$ 1,01, a US$ 75,01 por barril no fechamento.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar