acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Evento

Recife receberá encontro preparatório para Fórum Mundial da Ciência

31/01/2013 | 12h04

 

Pesquisadores, estudantes, representantes da sociedade e autoridades se reunirão no início de abril em Recife, durante o 5º Encontro Preparatório para o Fórum Mundial da Ciência. O objetivo é discutir propostas que serão levadas à edição 2013 do Fórum Mundial da Ciência, que será realizado em novembro, no Rio de Janeiro, sob o tema "Ciência para o desenvolvimento global".
O fórum é realizado a cada dois anos na Hungria e, pela primeira vez, acontecerá em outro país. No Rio, estarão reunidos reconhecidos nomes da área científica que debaterão o papel da ciência para o desenvolvimento global.
O encontro de Recife faz parte da programação de reuniões temáticas realizadas em sete capitais para promover uma ampla discussão nacional, tendo como temas transversais: Educação em ciência; Difusão e acesso ao conhecimento e interesse social; Ética na ciência; e Ciência para o desenvolvimento sustentável e inclusivo.
O primeiro encontro aconteceu em São Paulo, no mês de agosto passado, e teve como principais discussões a importância da ciência básica, os desafios da educação científica e as perspectivas para aprimorar a relação entre universidades e indústrias. A reunião contou com a participação do diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Carlos Henrique de Brito Cruz, do professor Luiz Davidovich, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), dos pesquisadores Fernando Galembeck, da Academia Brasileira de Ciências, e Marcelo Knobel, da Universidade Estadual de Campinas, e do professor Roberto Lotufo, da Agência de Inovação da Unicamp.
A capital mineira sediou a segunda reunião preparatória no mês de setembro e teve como principais discussões a importância dos museus e dos centros de ciência como espaços alternativos para difusão e acesso ao conhecimento; a necessidade do aumento dos investimentos em ciência e tecnologia para melhorar o processo produtivo e elevar a competitividade no exterior; e a defesa de uma maior fatia na distribuição dos royalties do petróleo da camada pré-sal para ser investida em educação, ciência, tecnologia e inovação.
Com o objetivo de discutir temas ligados à "Diversidade tropical e ciência para desenvolvimento", o terceiro encontro preparatório foi realizado no final de novembro em Manaus e contou com a participação de diversos pesquisadores da região amazônica. Os cientistas enfatizaram a importância da qualificação da educação básica como questão inicial para se pensar na qualidade dos futuros doutores do Brasil, bem como a integração das populações tradicionais para que as decisões sejam tomadas em diálogo com esse grupo social.
A quarta reunião foi realizada em Salvador, no mês de dezembro, e abordou as fontes alternativas e os desafios e perspectivas em energia e sustentabilidade. Entre os participantes estavam os professores João Tavares Pinho, da Universidade Federal do Pará, Carlos Alberto Dias, da Universidade Estadual do Norte Fluminense, o coordenador de Materiais da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Carlos Graeff, e o diretor da Agência Nacional de Petróleo, Florival Carvalho.
A SBPC integra a Comissão Executiva Nacional do Fórum, criada no final de 2011 e que tem funções ligadas à participação do governo brasileiro na preparação, programação e coordenação institucional do fórum. Também integram a comissão o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Academia Brasileira de Ciências, Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Educação, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Financiadora de Estudos e Projetos, Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior, Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I, Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa e Escritório da UNESCO no Brasil.
Ao final dos debates sobre o papel da ciência para o desenvolvimento global realizados nas reuniões preparatórias será editada uma publicação com a consolidação das proposições e principais conclusões e lançada antes do FMC.

Pesquisadores, estudantes, representantes da sociedade e autoridades se reunirão no início de abril em Recife, durante o 5º Encontro Preparatório para o Fórum Mundial da Ciência. O objetivo é discutir propostas que serão levadas à edição 2013 do Fórum Mundial da Ciência, que será realizado em novembro, no Rio de Janeiro, sob o tema "Ciência para o desenvolvimento global".


O fórum é realizado a cada dois anos na Hungria e, pela primeira vez, acontecerá em outro país. No Rio, estarão reunidos reconhecidos nomes da área científica que debaterão o papel da ciência para o desenvolvimento global.


O encontro de Recife faz parte da programação de reuniões temáticas realizadas em sete capitais para promover uma ampla discussão nacional, tendo como temas transversais: Educação em ciência; Difusão e acesso ao conhecimento e interesse social; Ética na ciência; e Ciência para o desenvolvimento sustentável e inclusivo.


O primeiro encontro aconteceu em São Paulo, no mês de agosto passado, e teve como principais discussões a importância da ciência básica, os desafios da educação científica e as perspectivas para aprimorar a relação entre universidades e indústrias. A reunião contou com a participação do diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Carlos Henrique de Brito Cruz, do professor Luiz Davidovich, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), dos pesquisadores Fernando Galembeck, da Academia Brasileira de Ciências, e Marcelo Knobel, da Universidade Estadual de Campinas, e do professor Roberto Lotufo, da Agência de Inovação da Unicamp.


A capital mineira sediou a segunda reunião preparatória no mês de setembro e teve como principais discussões a importância dos museus e dos centros de ciência como espaços alternativos para difusão e acesso ao conhecimento; a necessidade do aumento dos investimentos em ciência e tecnologia para melhorar o processo produtivo e elevar a competitividade no exterior; e a defesa de uma maior fatia na distribuição dos royalties do petróleo da camada pré-sal para ser investida em educação, ciência, tecnologia e inovação.


Com o objetivo de discutir temas ligados à "Diversidade tropical e ciência para desenvolvimento", o terceiro encontro preparatório foi realizado no final de novembro em Manaus e contou com a participação de diversos pesquisadores da região amazônica. Os cientistas enfatizaram a importância da qualificação da educação básica como questão inicial para se pensar na qualidade dos futuros doutores do Brasil, bem como a integração das populações tradicionais para que as decisões sejam tomadas em diálogo com esse grupo social.


A quarta reunião foi realizada em Salvador, no mês de dezembro, e abordou as fontes alternativas e os desafios e perspectivas em energia e sustentabilidade. Entre os participantes estavam os professores João Tavares Pinho, da Universidade Federal do Pará, Carlos Alberto Dias, da Universidade Estadual do Norte Fluminense, o coordenador de Materiais da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Carlos Graeff, e o diretor da Agência Nacional de Petróleo, Florival Carvalho.


A SBPC integra a Comissão Executiva Nacional do Fórum, criada no final de 2011 e que tem funções ligadas à participação do governo brasileiro na preparação, programação e coordenação institucional do fórum. Também integram a comissão o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Academia Brasileira de Ciências, Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Educação, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Financiadora de Estudos e Projetos, Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior, Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I, Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa e Escritório da UNESCO no Brasil.


Ao final dos debates sobre o papel da ciência para o desenvolvimento global realizados nas reuniões preparatórias será editada uma publicação com a consolidação das proposições e principais conclusões e lançada antes do FMC.

 



Fonte: Redação / Agência
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar