acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Resultado

Receita líquida da CPFL Renováveis atinge R$ 229 milhões

09/05/2013 | 09h59
Receita líquida da CPFL Renováveis atinge R$ 229 milhões
Complexo Eólico Bons Ventos Complexo Eólico Bons Ventos

 

A CPFL Renováveis registrou, no primeiro trimestre de 2013, receita operacional líquida de R$ 229,0 milhões, valor 70% superior aos R$ 134,7 milhões obtidos no mesmo período do ano passado. Segundo a empresa, o crescimento é resultado das aquisições de projetos como o Complexo Eólico Bons Ventos, em junho de 2012 e da Usina de Biomassa Ester, em outubro de 2012, além do início de operação do Complexo Eólico Santa Clara, em julho de 2012, da Usina Solar Tanquinho, em novembro de 2012, e da PCH Salto Góes, em dezembro de 2012.
O bom desempenho das centrais eólicas, além da expansão do parque gerador, contribuiu para a geração de um EBITDA de R$ 140,3 milhões - um crescimento de 76,4% em relação aos R$ 79,5 milhões do período anterior - com margem de 61,3% acumulada no período. A companhia teve prejuízo líquido no 1T13 de R$ 15,2 milhões. O indicador do trimestre é consequência: da despesa financeira líquida de R$ 65,7 milhões decorrente do maior saldo de dividas em função das captações necessárias para as aquisições feitas durante o ano de 2012; e do fato dos primeiros meses do ano apresentarem geração eólica e de biomassa abaixo da média do ano, dada a sazonalidade dos ventos e da safra da cana de açúcar.
Investimentos
No primeiro trimestre deste ano, a empresa de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis continuou seu plano de expansão investindo R$ 313 milhões. Ainda este ano a companhia prevê a entrada em operação de 328 MW relativos a cinco projetos: Complexo Eólico Atlântica (capacidade instalada de 120MW); Complexo Eólico Macacos I (capacidade instalada de 78 MW); Complexo Eólico Campo dos Ventos II (capacidade instalada de 30MW); Bio Coopcana (capacidade instalada de 50MW); e Bio Alvorada (capacidade instalada de 50MW). Além dos Complexos Eólicos de Campo dos Ventos e São Benedito (potência instalada total de 254 MW e com previsão para conclusão em 2016).
Atualmente, o portfólio da CPFL Renováveis totaliza 5.553 MW de capacidade de instalada. Desse total, 1.153 MW referem-se a empreendimentos já em operação: 35 PCHs (327 MW), 15 projetos de geração eólica (555 MW), seis usinas movidas a biomassa (270 MW) e uma de energia solar (1.1 MW). Outros 582 MW são de projetos em fase de construção: 18 de geração eólica (482 MW) e duas usinas movidas a biomassa (100 MW). A companhia possui ainda projetos eólicos e PCHs em fase desenvolvimento que totalizam 3.818 MW.

A CPFL Renováveis registrou, no primeiro trimestre de 2013, receita operacional líquida de R$ 229,0 milhões, valor 70% superior aos R$ 134,7 milhões obtidos no mesmo período do ano passado. Segundo a empresa, o crescimento é resultado das aquisições de projetos como o Complexo Eólico Bons Ventos, em junho de 2012 e da Usina de Biomassa Ester, em outubro de 2012, além do início de operação do Complexo Eólico Santa Clara, em julho de 2012, da Usina Solar Tanquinho, em novembro de 2012, e da PCH Salto Góes, em dezembro de 2012.


O bom desempenho das centrais eólicas, além da expansão do parque gerador, contribuiu para a geração de um EBITDA de R$ 140,3 milhões - um crescimento de 76,4% em relação aos R$ 79,5 milhões do período anterior - com margem de 61,3% acumulada no período. A companhia teve prejuízo líquido no 1T13 de R$ 15,2 milhões. O indicador do trimestre é consequência: da despesa financeira líquida de R$ 65,7 milhões decorrente do maior saldo de dividas em função das captações necessárias para as aquisições feitas durante o ano de 2012; e do fato dos primeiros meses do ano apresentarem geração eólica e de biomassa abaixo da média do ano, dada a sazonalidade dos ventos e da safra da cana de açúcar.



Investimentos


No primeiro trimestre deste ano, a empresa de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis continuou seu plano de expansão investindo R$ 313 milhões. Ainda este ano a companhia prevê a entrada em operação de 328 MW relativos a cinco projetos: Complexo Eólico Atlântica (capacidade instalada de 120MW); Complexo Eólico Macacos I (capacidade instalada de 78 MW); Complexo Eólico Campo dos Ventos II (capacidade instalada de 30MW); Bio Coopcana (capacidade instalada de 50MW); e Bio Alvorada (capacidade instalada de 50MW). Além dos Complexos Eólicos de Campo dos Ventos e São Benedito (potência instalada total de 254 MW e com previsão para conclusão em 2016).


Atualmente, o portfólio da CPFL Renováveis totaliza 5.553 MW de capacidade de instalada. Desse total, 1.153 MW referem-se a empreendimentos já em operação: 35 PCHs (327 MW), 15 projetos de geração eólica (555 MW), seis usinas movidas a biomassa (270 MW) e uma de energia solar (1.1 MW). Outros 582 MW são de projetos em fase de construção: 18 de geração eólica (482 MW) e duas usinas movidas a biomassa (100 MW). A companhia possui ainda projetos eólicos e PCHs em fase desenvolvimento que totalizam 3.818 MW.



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar