acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Investimentos

Raízen consolida investimento de R$ 200 milhões na região Centro-Sul

10/09/2015 | 13h12
Raízen consolida investimento de R$ 200 milhões na região Centro-Sul
Raízen Raízen

 

Seguindo a estratégia de ampliar sua eficiência logística na região Centro-Sul, a Raízen investiu R$ 70 milhões para  reativar seu terminal de distribuição de combustíveis em Campo Grande (MS) e instalar sua base em Ourinhos (SP), que teve capacidade triplicada no último mês de agosto.
Com as otimizações, a Raízen completa um ciclo de investimentos de R$ 200 milhões em infraestrutura logística para aumentar sua competitividade nas duas regiões, que passam a contar com operação integrada de transportes de combustíveis por meio do modal rodoferroviário. 
A Raízen investiu R$ 20 milhões para reativar seu terminal de distribuição localizado em Campo Grande (MS), que tem capacidade total de cinco milhões de litros de combustíveis, incluindo etanol hidratado, gasolina e diesel S-10. Os volumes armazenados serão destinados a postos de serviços com bandeira Shell no estado do Mato Grosso do Sul (MS). A base foi reinaugurada oficialmente nesta quinta-feira (10).
Em Ourinhos foram investidos R$ 50 milhões para inaugurar o terminal de distribuição de combustíveis em 2012 e triplicar sua capacidade no  último mês de agosto, a fim de atender à demanda crescente por etanol na região Sul. Com a ampliação concluída em meados de agosto, a base pode armazenar até 36 milhões de litros de combustíveis.
Segundo o diretor de Desenvolvimento de Negócios da Raízen, Nilton Gabardo, a companhia traçou uma estratégia de investimento para aproveitar os grandes volumes de etanol produzidos na região. “Nos últimos anos a Raízen foi a empresa que mais investiu em infraestrutura nas regiões produtoras de etanol e biodiesel, especialmente no interior paulista e no Centro Oeste. Com a expansão de Ourinhos, vamos trazer biodiesel e diesel provenientes do Sul do Brasil para serem distribuídos no interior de São Paulo e retornar com etanol das unidades produtoras da Raízen localizadas próximas ao município paulista”.
A reativação e a expansão dos terminais em Campo Grande e Ourinhos fortalecem a vantagem competitiva da companhia, com infraestrutura própria para atuar em alta performance e assegurar a distribuição de combustíveis na região Centro-Sul. “Estamos cada vez mais próximos dos nossos parceiros de negócio e, em especial, da nossa rede de postos Shell no interior, que é a bandeira com o cliente mais exigente do segmento de varejo de combustíveis”.
Vai e volta - O aumento da competitividade da Raízen pode ser explicado pela logística reversa – fluxo de transporte de cargas em dois sentidos – proporcionada pelo terminal expandido em Ourinhos. O interior paulista é a região que concentra a maior produção brasileira de etanol, escoado pelo terminal de Ourinhos via modal ferroviário para a Região Sul. Os vagões retornam trazendo os excedentes de produção de biodiesel do Rio Grande do Sul. “Com estes investimentos, interligamos por ferrovia o mercado do Sudeste aos maiores centros produtores de biodiesel, que são os estados do Mato Grosso e do Rio Grande do Sul”, informa.

Seguindo a estratégia de ampliar sua eficiência logística na região Centro-Sul, a Raízen investiu R$ 70 milhões para  reativar seu terminal de distribuição de combustíveis em Campo Grande (MS) e instalar sua base em Ourinhos (SP), que teve capacidade triplicada no último mês de agosto.Com as otimizações, a Raízen completa um ciclo de investimentos de R$ 200 milhões em infraestrutura logística para aumentar sua competitividade nas duas regiões, que passam a contar com operação integrada de transportes de combustíveis por meio do modal rodoferroviário. 

A Raízen investiu R$ 20 milhões para reativar seu terminal de distribuição localizado em Campo Grande (MS), que tem capacidade total de cinco milhões de litros de combustíveis, incluindo etanol hidratado, gasolina e diesel S-10. Os volumes armazenados serão destinados a postos de serviços com bandeira Shell no estado do Mato Grosso do Sul (MS).

A base foi reinaugurada oficialmente nesta quinta-feira (10).Em Ourinhos foram investidos R$ 50 milhões para inaugurar o terminal de distribuição de combustíveis em 2012 e triplicar sua capacidade no  último mês de agosto, a fim de atender à demanda crescente por etanol na região Sul. Com a ampliação concluída em meados de agosto, a base pode armazenar até 36 milhões de litros de combustíveis.

Segundo o diretor de Desenvolvimento de Negócios da Raízen, Nilton Gabardo, a companhia traçou uma estratégia de investimento para aproveitar os grandes volumes de etanol produzidos na região. “Nos últimos anos a Raízen foi a empresa que mais investiu em infraestrutura nas regiões produtoras de etanol e biodiesel, especialmente no interior paulista e no Centro Oeste.

Com a expansão de Ourinhos, vamos trazer biodiesel e diesel provenientes do Sul do Brasil para serem distribuídos no interior de São Paulo e retornar com etanol das unidades produtoras da Raízen localizadas próximas ao município paulista”. A reativação e a expansão dos terminais em Campo Grande e Ourinhos fortalecem a vantagem competitiva da companhia, com infraestrutura própria para atuar em alta performance e assegurar a distribuição de combustíveis na região Centro-Sul. “Estamos cada vez mais próximos dos nossos parceiros de negócio e, em especial, da nossa rede de postos Shell no interior, que é a bandeira com o cliente mais exigente do segmento de varejo de combustíveis”.

Vai e volta - O aumento da competitividade da Raízen pode ser explicado pela logística reversa – fluxo de transporte de cargas em dois sentidos – proporcionada pelo terminal expandido em Ourinhos. O interior paulista é a região que concentra a maior produção brasileira de etanol, escoado pelo terminal de Ourinhos via modal ferroviário para a Região Sul. Os vagões retornam trazendo os excedentes de produção de biodiesel do Rio Grande do Sul. “Com estes investimentos, interligamos por ferrovia o mercado do Sudeste aos maiores centros produtores de biodiesel, que são os estados do Mato Grosso e do Rio Grande do Sul”, informa.

 



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar