acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Quatro termelétricas foram desligadas no sábado

13/05/2013 | 09h37
Quatro termelétricas foram desligadas no sábado
UTE Termomanaus (PE) UTE Termomanaus (PE)

 

No sábado (11), quatro termelétricas movidas a óleo diesel, das que foram acionadas em outubro do ano passado para garantir a segurança energética do país, foram desligadas. As usinas Pau Ferro e Termomanaus, em Pernambuco; Xavante, em Goiás; e Potiguar I, no Rio Grande do Norte, somam 334 megawatts (MW), dos cerca de 14 mil MW que foram acionados.
A decisão do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, na última quarta-feira (8), levou em conta o custo de produção de energia das termelétricas. A operação das quatro usinas custa R$ 260 milhões por mês, e o desligamento dessas usinas vai representar uma redução de encargos entre R$ 80 milhões e R$ 100 milhões mensais.
As termelétricas haviam sido acionadas por causa do baixo nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas no final de 2012. A decisão de desligar as térmicas foi tomada porque os reservatórios do país já atingiram níveis satisfatórios. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que o governo vai continuar monitorando o nível dos reservatórios e, se for possível, haverá o desligamento de mais termelétricas.
O sistema de geração de eletricidade do Brasil é chamado de hidrotérmico, ou seja, a geração por meio de hidrelétricas é a principal, e as térmicas movidas a gás natural, óleo diesel, carvão ou biomassa servem para complementar. Quando o nível dos reservatórios das hidrelétricas está muito baixo, o governo decide acionar mais termelétricas para garantir que não falte energia no país.

No sábado (11), quatro termelétricas movidas a óleo diesel, das que foram acionadas em outubro do ano passado para garantir a segurança energética do país, foram desligadas. As usinas Pau Ferro e Termomanaus, em Pernambuco; Xavante, em Goiás; e Potiguar I, no Rio Grande do Norte, somam 334 megawatts (MW), dos cerca de 14 mil MW que foram acionados.


A decisão do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, na última quarta-feira (8), levou em conta o custo de produção de energia das termelétricas. A operação das quatro usinas custa R$ 260 milhões por mês, e o desligamento dessas usinas vai representar uma redução de encargos entre R$ 80 milhões e R$ 100 milhões mensais.


As termelétricas haviam sido acionadas por causa do baixo nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas no final de 2012. A decisão de desligar as térmicas foi tomada porque os reservatórios do país já atingiram níveis satisfatórios. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que o governo vai continuar monitorando o nível dos reservatórios e, se for possível, haverá o desligamento de mais termelétricas.


O sistema de geração de eletricidade do Brasil é chamado de hidrotérmico, ou seja, a geração por meio de hidrelétricas é a principal, e as térmicas movidas a gás natural, óleo diesel, carvão ou biomassa servem para complementar. Quando o nível dos reservatórios das hidrelétricas está muito baixo, o governo decide acionar mais termelétricas para garantir que não falte energia no país.



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar