acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Aporte Financeiro

Prumo recebe aprovação do BNDES para concessão de financiamento

30/07/2015 | 10h42
Prumo recebe aprovação do BNDES para concessão de financiamento
Divulgação Divulgação

 

A Prumo divulgou hoje que a Porto do Açu Operações S.A. (subsidiária da companhia) recebeu carta com a aprovação definitiva da Diretoria do BNDES referente ao alongamento e alteração da estrutura de sua dívida de curto prazo. O documento prevê a extensão do período de carência e do vencimento da dívida para 18 anos.
 
A aprovação estabelece o financiamento de longo prazo de R$ 2,8 bilhões, dos quais R$ 2,3 bilhões serão desembolsados no momento da assinatura do contrato. Este montante será repassado pelos Bancos Santander e Bradesco e será integralmente utilizado para a amortização dos empréstimos-ponte concedidos anteriormente pelo banco. Os R$ 500 milhões restantes, destinados a investimentos pára a conclusão da obra do porto, serão repassados por um terceiro banco, ainda a ser definido. O prazo de financiamento será de 18 anos (com vencimento em 2033), sendo 4 anos de carência e 14 anos de amortização. A operação será concluída com a assinatura dos contratos.
A Prumo Logística possui uma dívida de R$ 3,3 bilhões. Deste total, R$ 2,3 bilhões são referentes a esta dívida de longo aprovada pelo BNDES e R$ 1 bilhão com a emissão de debentures de longo prazo.
 
"Eliminar a diferença entre os nossos contratos de longo prazo e as nossas obrigações de curto prazo, permitirá a Prumo prosseguir com o desenvolvimento comercial e a atração de novos clientes para o Porto do Açu. Desde o investimento do EIG e a reestruturação da companhia em 2013, conseguimos transformar um projeto parcialmente construído em um complexo portuário totalmente operacional, pronto para a instalação de empresas. Concluímos este processo no prazo e dentro do orçamento previsto, permitindo o suporte financeiro dos nossos credores, e estamos muito orgulhosos com esta conquista", disse Eugenio Figueiredo, CFO da Prumo.
 
Desde o início da operação do Porto do Açu no último ano, a Prumo assinou importantes contratos comerciais e ampliou suas operações com o desenvolvimento de novos terminais. Entre eles está a operação do Terminal de Petróleo (TOIL) do Porto do Açu, prevista para o próximo ano com o transbordo de petróleo para a BG.
 
Além disso, a empresa iniciou nesta semana a operação do Terminal Multicargas (TMULT) com o contrato com a Votorantim Metais para a exportação de bauxita. O terminal tem capacidade para movimentar 4 milhões de toneladas por ano de granéis sólidos, contêineres e veículos e a Prumo está em negociação com outros clientes âncoras.
 
A Edison Chouest (ECO) está desenvolvendo no Porto do Açu a maior base de apoio offshore do mundo, para atender a um contrato já assinado com a Petrobras. A previsão é que a unidade da ECO comece a operar no final deste ano, possibilitando que o Porto do Açu atenda praticamente todas as empresas do setor de O&G que operam atualmente ou estão à procura de novas operações no Brasil.
As unidades da NOV, Technip e Wartsila já iniciaram suas operações no porto e estão atualmente produzindo e entregando equipamentos para os projetos offshore da Petrobras.
 
Além disso, a BP-Prumo (joint venture 50% Prumo e 50% BP) vai começar a distribuição de combustível marítimo no Porto do Açu no início de 2016.
 
Estas operações são parte da estratégia da Prumo para entregar soluções logísticas inigualáveis para o setor de O&G e outros clientes industriais, reduzindo os custos e contribuindo para a competitividade da indústria brasileira em uma base global.

A Prumo divulgou hoje que a Porto do Açu Operações S.A. (subsidiária da companhia) recebeu carta com a aprovação definitiva da Diretoria do BNDES referente ao alongamento e alteração da estrutura de sua dívida de curto prazo. O documento prevê a extensão do período de carência e do vencimento da dívida para 18 anos.
 
A aprovação estabelece o financiamento de longo prazo de R$ 2,8 bilhões, dos quais R$ 2,3 bilhões serão desembolsados no momento da assinatura do contrato. Este montante será repassado pelos Bancos Santander e Bradesco e será integralmente utilizado para a amortização dos empréstimos-ponte concedidos anteriormente pelo banco.

 Os R$ 500 milhões restantes, destinados a investimentos pára a conclusão da obra do porto, serão repassados por um terceiro banco, ainda a ser definido. O prazo de financiamento será de 18 anos (com vencimento em 2033), sendo 4 anos de carência e 14 anos de amortização. A operação será concluída com a assinatura dos contratos.


A Prumo Logística possui uma dívida de R$ 3,3 bilhões. Deste total, R$ 2,3 bilhões são referentes a esta dívida de longo aprovada pelo BNDES e R$ 1 bilhão com a emissão de debentures de longo prazo.
 
"Eliminar a diferença entre os nossos contratos de longo prazo e as nossas obrigações de curto prazo, permitirá a Prumo prosseguir com o desenvolvimento comercial e a atração de novos clientes para o Porto do Açu. Desde o investimento do EIG e a reestruturação da companhia em 2013, conseguimos transformar um projeto parcialmente construído em um complexo portuário totalmente operacional, pronto para a instalação de empresas.

Concluímos este processo no prazo e dentro do orçamento previsto, permitindo o suporte financeiro dos nossos credores, e estamos muito orgulhosos com esta conquista", disse Eugenio Figueiredo, CFO da Prumo.
 
Desde o início da operação do Porto do Açu no último ano, a Prumo assinou importantes contratos comerciais e ampliou suas operações com o desenvolvimento de novos terminais. Entre eles está a operação do Terminal de Petróleo (TOIL) do Porto do Açu, prevista para o próximo ano com o transbordo de petróleo para a BG.
 
Além disso, a empresa iniciou nesta semana a operação do Terminal Multicargas (TMULT) com o contrato com a Votorantim Metais para a exportação de bauxita. O terminal tem capacidade para movimentar 4 milhões de toneladas por ano de granéis sólidos, contêineres e veículos e a Prumo está em negociação com outros clientes âncoras.
 
A Edison Chouest (ECO) está desenvolvendo no Porto do Açu a maior base de apoio offshore do mundo, para atender a um contrato já assinado com a Petrobras. A previsão é que a unidade da ECO comece a operar no final deste ano, possibilitando que o Porto do Açu atenda praticamente todas as empresas do setor de O&G que operam atualmente ou estão à procura de novas operações no Brasil.

As unidades da NOV, Technip e Wartsila já iniciaram suas operações no porto e estão atualmente produzindo e entregando equipamentos para os projetos offshore da Petrobras.
 
Além disso, a BP-Prumo (joint venture 50% Prumo e 50% BP) vai começar a distribuição de combustível marítimo no Porto do Açu no início de 2016.
 
Estas operações são parte da estratégia da Prumo para entregar soluções logísticas inigualáveis para o setor de O&G e outros clientes industriais, reduzindo os custos e contribuindo para a competitividade da indústria brasileira em uma base global.

 



Fonte: Redação/ Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar